Do Navio Negreiro às Catracas

O transporte, que deveria servir para aproximar as pessoas, permitir encontros e a apropriação da cidade em que se vive, tem funcionado como um perverso sistema de reprodução e aprofundamento de opressões. Não é à toa que dizemos que todo vagão ou ônibus tem muito de navio negreiro. Na verdade, bem antes dos ônibus, metrôs e trens, o primeiro transporte de massas que tivemos no Brasil foi feito pelos navios que traziam pessoas africanas escravizadas para trabalhar na colônia. As condições violentas em que eram trazidas mostram que eram vistas como simples mercadorias: quanto mais gente pudesse ser espremida no navio, maiores os rendimentos para os traficantes de escravos. Hoje, a maior parte das pessoas que dependem do transporte coletivo pra ir e voltar do trabalho são negras ou não-brancas, mulheres e periféricas. E as condições em que essas viagens acontecem são extremamente precárias. O custo da tarifa, as grandes distâncias, o longo tempo perdido, a lotação, as baldeações, a falta de manutenção dos veículos e trens, a falta de linhas de ônibus… tudo isso são consequências de um transporte que não trata os usuários como pessoas, mas como números. Isso revela que são impostas condições diferentes de mobilidade e Continue lendo Do Navio Negreiro às Catracas

VAMOS PRA TERCEIRA MANIFESTAÇÃO CONTRA O AUMENTO!

Não vamos pagar cada vez mais, pra circular cada vez menos. Organize-se. catraque, não pague! >>>TERCEIRA MANIFESTAÇÃO CONTRA O AUMENTO: ~quando? 16.jan.2020, quinta concentração a partir das 17h saída 18h ~onde? no Teatro Munical #4e40NãoDá #CatraqueNãoPague ……………… >>> Quer saber mais informações? Quer somar na luta com nois? Entre em contato com a gente!

NOTA SOBRE A SEGUNDA MANIFESTAÇÃO CONTRA O AUMENTO: 4,40 NÃO DÁ!

Hoje, o ato se iniciou na Praça da Sé e os/as manifestantes deram o recado pra Doria e Covas: não vamos pagar tarifa pra voltar pra casa! Com muita empolgação e apoio popular, centenas de manifestantes seguiram rumo à Estação República do Metrô. No caminho, queimaram uma catraca na frente da Secretaria de Transportes pra dizer que não vamos aceitar mais um aumento e ainda centenas de cortes de linhas de ônibus. O ato foi crescendo e, quando chegou na frente da Estação República, avisou: se não liberar a catraca, não vamos liberar a rua. LIBERA A CATRACA! Qual foi a reposta da polícia de João Doria e Bruno Covas? Bombas, gás e agressões na população trabalhadora – inclusive crianças e idosos – que tentavam voltar pra casa e estavam dentro e fora da estação!!! Toda essa violência contra os/as de baixo só pra defender as catracas dos de cima. Não arredamos. Seguimos para a Estação Anhangabaú pra tentar voltar pra casa. Mas a polícia fechou a estação por mais de uma hora (!) impedindo o nosso direito de ir e vir. E de novo, a PM deteve 2 manifestantes, ferindo o direito à manifestação. Ninguém fica pra trás! Não Continue lendo NOTA SOBRE A SEGUNDA MANIFESTAÇÃO CONTRA O AUMENTO: 4,40 NÃO DÁ!

SEGUNDA MANIFESTAÇÃO CONTRA O AUMENTO

::: R$4,40 NÃO DÁ! não vamos pagar mais pra circular menos. catraque, não pague. e bora pra SEGUNDA manifestação! >>> SEGUNDA MANIFESTAÇÃO CONTRA O AUMENTO: ~quando? 9.01.2020, quinta concentração a partir das 17h saída 18h ~onde? na praça da sé #4e40NãoDá #CatraqueNãoPague ……………… >>> Quer saber mais informações? Quer somar na luta com nois? Entre em contato com a gente!

NOTA SOBRE A PRIMEIRA MANIFESTAÇÃO CONTRA O AUMENTO: 4,40 NÃO DÁ!

Ontem, mais uma vez, ocupamos as ruas contra a tarifa e seus aumentos. Dessa vez, o ato se iniciou na frente da Prefeitura pra mandar o recado para o Prefeito Covas e seu amigo Doria: não vamos aceitar pagar cada vez mais, pra circular cada vez menos. Da frente da Prefeitura, a manifestação caminhou pelas ruas do centro, e com muito apoio popular pegou a Av. 9 de julho: paramos o trânsito de São Paulo! Ao chegar na Estação Trianon-MASP, mandamos o recado: não vamos pagar tarifa pra voltar pra casa! Mas ao invés de reconheceram nossas pautas como legítimas, os governantes mandaram as forças policias fechar a estação e defender as catracas. Toda essa violência para impedir nosso direito de ir e vir e defender o lucro dos empresários. Mesmo assim, não recuamos. Fechamos a Avenida Paulista e conseguimos entrar na estação e pressionar lá de dentro! Mais uma vez, a polícia reprimiu com agressões, spray de pimenta e terror psicológico. Por enquanto, temos notícia de cerda de 22 detenções arbitrárias de manifestantes que somente tentavam voltar pra casa sem pagar tarifa! Não vão nos proibir de lutar por um transporte verdadeiramente público! R$4,40 não dá! Convidamos geral a Continue lendo NOTA SOBRE A PRIMEIRA MANIFESTAÇÃO CONTRA O AUMENTO: 4,40 NÃO DÁ!