Nota pública do Movimento Passe Livre sobre a luta contra o aumento

No fim da última semana, São Paulo viveu duas grandes manifestações contra o aumento das tarifas de ônibus, trem e metrô para R$3,20. O Movimento Passe Livre (MPL) não é a única organização envolvida nessas mobilizações
e não se considera o dono da luta contra o aumento. Esta luta tem sido uma luta ampla, com grande adesão da população e outras organizações políticas – por isso mesmo não temos controle total das manifestações e nem dos
grupos envolvidos.

O MPL é um movimento social independente e apartidário que luta por um modelo de transporte verdadeiramente público. Há partidos políticos participando das manifestações contra o aumento, mas, ao contrário do que foi publicado em alguns veículos de imprensa, os partidos não fazem parte do MPL. O MPL é um movimento nacional, autônomo e horizontal – não há líderes e todas as deliberações são tomadas coletivamente.

Declarações do Prefeito

No último sábado (08), foi publicada uma entrevista no Jornal Estado de S. Paulo na qual o prefeito Haddad falou sobre seus planos para o transporte coletivo da cidade e suas impressões sobre as manifestações ocorridas na semana.

Perguntado sobre a municipalização do imposto sobre os combustíveis, Haddad disse que o movimento está defasado em relação o debate público. Mas se engana: quem está defasada é a prefeitura, que renega um debate muito mais avançado que foi feito pelo próprio PT no início da década de 1990: a Tarifa Zero.

Haddad diz que ainda desoneração do Cide é uma bandeira histórica dos movimentos sociais, o que também não é verdade. Esta seria antes uma bandeira histórica de EMPRESÁRIOS do ramo: desonerar impostos, aumentar subsídios e ainda aumentar a tarifa!

O Prefeito revela que para se implementar a Tarifa Zero nos ônibus da capital seriam necessários R$6 bilhões, diz que essa discussão é séria e precisaria saber de onde tirar esse financiamento. O Movimento Passe Livre sabe que essa é uma questão séria, tanto que sabe também que, por exemplo, a previsão orçamentária da cidade que era de R$37 bilhões em 2012 cresceu para R$43 bilhões em 2013 – os 6 bi necessários para a Tarifa Zero.

Uma política como a Tarifa Zero, que priorize o transporte público, depende de uma decisão política. E a opção que esta prefeitura vem mantendo, é a mesma das anteriores: o modelo falido de priorizar o transporte individual em relação ao coletivo.

Sobre o Bilhete Mensal

Haddad admite que se trata de uma forma de captar mais recursos para as empresas. O projeto só beneficiará 10% dos usuários e representará um aumento de 60% do dinheiro publico que vai pro bolso dos empresários.

Trem e Metrô

O Governador Geraldo Alckmin parece não ter entendido (ou finge que não entendeu) que as mobilizações não são apenas contra o aumento das tarifas de ônibus: os aumentos do metrô, CPTM e dos intermunicipais são igualmente injustos. E que os mesmo prestam um serviço de péssima qualidade ao usuário e precarizam as condições de trabalho de seus funcionários.

Sobre o diálogo

O Movimento Passe Livre São Paulo está perfeitamente aberto ao diálogo, no entanto não temos disposição em negociar algo diferente daquilo que a população está exigindo nas ruas. Nas atuais mobilizações, temos uma reivindicação clara: a REVOGAÇÃO DO AUMENTO.

Voltaremos ao centro na terça-feira às 17h na praça do ciclista, e estaremos nas ruas dos bairros ao longo de toda semana. A luta está só começando.

Por uma vida sem catracas,
Movimento Passe Livre – São Paulo (MPL-SP)

20 Replies to “Nota pública do Movimento Passe Livre sobre a luta contra o aumento”

  1. Olá pessoal!!!
    Sou o Cadu X de São Luís – MA, fiz parte do MPL São Luís, quando estava ativo em 2005, segue histórico:
    “O coletivo São Luís aderiu ao MPL em janeiro de 2005, após participação de um integrante ao 1º Encontro Nacional do Movimento Passe Livre em Porto Alegre, no mesmo ano realizamos uma marcha com estudantes secundaristas em protesto a administração da União Municipal dos Estudantes Secundaristas – UMES. O coletivo esteve em atividade por um ano e meio e depois foi desativado, agora com o levante dos Coletivos MPL estamos reativando o coletivo para então seguirmos atuando de diversas maneiras para conquistar os objetivos do MPL: Passe Livre estudantil e para desempregados; tarifa zero universal, para que o transporte não exclua segmentos mais necessitados da população, ou seja, torne-se público de fato; resgate do espaço público através de debates, colocando o transporte coletivo em pauta em todas unidades federais.”
    Agora faço parte do Coletivo que está reativando o MPL São Luís. Eu estive presente no 1º Encontro Nacional do MPL em Porto Alegre em 2005, na ocasião ocorrido no espaço Caracol Intergalactika – 5º FSM, estava na companhia de companheiros do CMI, Vitor (CMI-Rio), Paique (CMI-Bsb), Carol (CMI-Poa) e outros, pois na época eu também fazia parte do CMI-Slz após retorno de Porto Alegre a São Luís, nos organizamos e criamos o Coletivos Pré-MPL São Luís, depois de 06 meses de atividades, já éramos Coletivo aceito na rede, mas depois de um ano o Coletivo se dissolveu e então comuniquei o Coletivo Nacional, na época meu contato foi com Ratto, que retirou o Coletivo MPL São Luís da lista nacional. Agora além da luta do MPL em várias capitais e outras cidades, em São Luís também estamos na luta e nos baseando na Carta de Princípios aprovada no 3º Encontro Nacional do MPL. Estamos com um blog, onde estamos fazendo contato com as pessoas interessadas em reativar o Coletivo, temos uma reunião marcada para sábado, 29/06.
    http://mplsaoluis.wordpress.com
    Gostaria que nos informassem a lista de discussão do MPL, para que possamos está acompanhando as pautas do MPL nacional.
    Boa noite a todos e todas!!!
    Por uma vida sem catraca.
    Desde Coletivo de Reativação do MPL Sã Luís.

  2. O governo federal ira liberar o aumento do pedágios das rodovias dia primeiro agora(01/07/2013). Gostaria que você coloca-se isso protesto, para não haver aumento. Pois havendo este aumento o frete dos caminhões aumentam, sendo assim é repassado para o consumidor nós brasileiros.

    Sem mais

  3. Tenho algumas questões:
    Porque não se discute a concessão do serviço de transporte?
    Isso é uma concessão pública.
    Quando vai ocorrer uma licitação para estes serviços?
    Quando vão vencer as licitações vigentes?
    Por que a licitação não existe? Por que não se faz uma licitação que ganhe quem oferecer a tarifa mais baixa? (cumpridas as exigências de qualidade e com fiscalização).
    Porque os donos de empresas de ônibus são milionários se dá prejuízo?
    Será que os governantes têm medo?

  4. ola !
    sou a favor de manifestacoes pacificas, pois entendo que o movimento e legitimo, mas o que vcs, lideres do mpl, estao fazendo p/ evitar a questao de ter infiltrados, vandalos e oportunistas que em minha percepcao, rompem com a manutencao da legitimidade.
    vcs jovens, estao com a “faca e o queijo” nas maos, mas estao perdendo uma grande oportunidade em formalmente declarar um NAO aos que estao “sujando” a legitimidade desse movimento.
    nao tenham receio em demonstrar que existe um bando de vandalos, diria, covardes, que utilizam dessa original demostracao de democracia.
    digam NAO a eles, mas formalmente, pois parece-me que estao com “muitos dedos” para afirmarem isso.
    lembrem-se, vcs sao “a bola da vez”, mas podem por questao de nao impor com respeito ao movimento, perder tudo isso.
    ficaria muito feliz se respondessem, pois essa eh a expectativa de quem lhes escreve.
    em tempo, nao deixem ser dobrados pelos politicos “sacanas” que agora querem aproximar-se de vcs e todos “bonzinhos”. digam NAO a essa corja.
    obrigado

  5. ola !
    sou a favor de manifestacoes pacificas, pois entendo que o movimento e legitimo, mas o que vcs, lideres do mpl, estao fazendo p/ evitar a questao de ter infiltrados, vandalos e oportunistas que em minha percepcao, rompem com a manutencao da legitimidade.
    vcs jovens, estao com a “faca e o queijo” nas maos, mas estao perdendo uma grande oportunidade em formalmente declarar um NAO aos que estao “sujando” a legitimidade desse movimento.
    nao tenham receio em demonstrar que existe um bando de vandalos, diria, covardes, que utilizam dessa original demostracao de democracia.
    digam NAO a eles, mas formalmente, pois parece-me que estao com “muitos dedos” para afirmarem isso.
    lembrem-se, vcs sao “a bola da vez”, mas podem por questao de nao impor com respeito ao movimento, perder tudo isso.
    ficaria muito feliz se respondessem, pois essa eh a expectativa que lhes escreve.
    em tempo, nao deixem ser dobrados pelos politicos “sacanas” que agora querem aproximar-se de vcs e todos “bonzinhos”. digam NAO a essa corja.
    obrigado

  6. Movimento um passo à liberdade

    Corja de vândalos que agem de modo organizado. É isso o que escutamos de sujeitos como um ilustre médico, eleito pelo povo para governar o estado conhecido como “Locomotiva do Brasil”, escondido atrás de seu motorista, sobre as manifestações do Movimento Passe Livre. Como se não bastasse, assistimos aos mais variados episódios de violência durante as manifestações de São Paulo e do Rio de Janeiro. Não apenas à violência física, mas, sobretudo, à violência simbólica dos que desejam apagar nosso direito à voz. Lembremos a origem do termo violência: do latim violare (violação no sentido mais amplo que se possa imaginar).

    Nessa direção, muitos indivíduos acomodados e, por que não dizer, amordaçados ideologicamente por uma mídia manipuladora defendem a irrelevância de meros vinte centavos que não trariam impactos à tão cultuada economia ou ao bolso do consumidor. É interessante lembrar, contudo, as semelhanças que essas manifestações têm com o movimento Ocupe Wall Street. Em seu célebre discurso de apoio àqueles jovens (que pode ser visualizado em: ), o filósofo e sociólogo Slavoj Zizek contou a história de um homem que havia viajado à Sibéria e iria enviar notícias aos amigos sobre a situação no país. Mas, como não sabia se iria passar ou não por um sistema de censura, combinou que se a carta chegasse escrita em tinta azul as notícias seriam verdadeiras; se chegasse em tinta vermelha, falsas. Um mês depois de sua partida, os amigos receberam uma carta escrita em tinta azul relatando tudo o que havia de maravilhoso naquele local. Um local onde nada faltava. Porém, a única coisa que não tinham era tinta vermelha. Com esse irônico discurso, Zizek defende que os manifestantes de Wall Street nos fornecem exatamente essa tinta vermelha. Algo que poderíamos chamar de uma resistência contra a violência simbólica do Estado.

    Pois bem, MPL! O que precisamos nos lembrar hoje é que mais que vinte centavos, a despeito de toda a violência simbólica, o movimento fornece a tinta vermelha para questões muito maiores! Não se trata apenas de se colocar contra o aumento de vinte centavos. Trata-se antes, e muito mais, da crítica a todos os abusos e incongruências de todo um sistema. Capitalista? Globalizado? Ditatorial? Independente de qualquer definição: autoritário. É um estranho cenário em que vemos um pseudoesquerdista PT (de Haddad) de mãos dadas ao direitista PSDB (de Alckmin), coadunados em um sistema que prega interesses alheios aos da sociedade.

    Contra o apagamento de nossas vozes, esse movimento impõe a força do grito daqueles que não assistem passivamente aos desmandos de um sistema. Muitos dizem que o movimento não trará resultados na diminuição da passagem. Mas um movimento não se faz meramente de resultados pragmáticos. A partir de agora qualquer decisão abusiva de empresários ou governantes precisará ter todos os receios possíveis frente à voz de uma união que não se cala. Já nos anos 1960, o cineasta e ativista político Pier Paolo Pasolini defendia que o sistema de alienação política era pior que o Nazifascismo. Embora tal afirmação possa parecer forte, ela se fundamenta no fato de que tal sistema fazia com que nós próprios negássemos um direito conquistado após séculos de luta contra poderes despóticos: o direito à voz. E é contra essa imposição do autoamordaçamento que protestamos nas ruas, nas faixas, nos blogs, no Facebook. Contra os vinte centavos sim, pois ele é mais uma das pontas desse enorme e gélido iceberg. Mas o fato de mostrarmos que ainda temos voz e que ela é capaz de se insurgir contra todo o lixo que nos tem sido imposto por governos, empresas, mídia, comércio, megaeventos da Copa e das Olimpíadas é o maior ganho que poderíamos ter. Vozes que se unem, vozes que esbravejam, vozes que cantam, vozes que citam, vozes que recitam. Se estamos falando de toda essa estapafúrdia violência simbólica, esse movimento não faz frente unicamente à barreira que se impõe contra a mobilidade urbana: ele faz frente contra tudo o que serve como barreira diante de uma jornada maior, que envolve caminhos e fins muito mais complexos. Resultados? Não queremos um ponto de chegada único, queremos poder enxergar com clareza todos os possíveis caminhos que podem se abrir em nosso horizonte.

    Esse não é o grito de gargantas solitárias, mas de corações que batem unidos.

  7. Força e Objetivo. Não parem até serem atendidos! Sinto um pesar enorme em não fazer parte do movimento nesse momento, espero um dia poder colaborar de alguma forma para a mudança desse país, assim como vocês estão fazendo hoje. Tenham a absoluta certeza que a maioria do povo brasileiro, o povo desse país, torce pela revogação e pela demonstração do PODER que esse mesmo povo possui!!

  8. Sou totalmente a favor de toda a manifestação popular pela defesa dos direitos dos cidadãos.
    Mas a violência e os transtornos causados a toda população devido aos atos de vandalismo por integrantes infiltrados neste movimento, está sendo LAMENTÁVEL E RIDÍCULO.
    PASSE LIVRE significa defender o direito de ir e vir dos cidadãos e não impedir a passagens dos carros nas ruas,realizar pichações em ônibus e depredar o patrimônio, pois o nome para isto é incoerência, contradição!
    Se o problema é com o PREFEITO vá até o prédio da PREFEITURA protestar. Se o problema é com o GOVERNADOR vá até o prédio do GOVERNO ESTADUAL, fazer barricadas, pichar os muros e enfrentar os policiais lá, quero ver se vocês terão CORAGEM para isto!
    Pois dentro dos transportes públicos, andando de bicicleta, saindo do local de trabalho a pé ou enfrentando um congestionamento correndo o risco de ser roubado em um arrastão, com certeza Geraldo Alckmin e Fernando Haddad, não estarão nesse meio mas sim a população!

  9. ESSAS MANIFESTAÇÕES SÃO MUITO IMPORTANTES PRA MOSTRAR QUE O POVO BRASILEIRO ESTA ACORDANDO DE UM SONO PROFUNDO E ABRINDO OS OLHOS PARA ESSA MENTIRA DE INFLAÇÃO BAIXA QUE QUEREM FAZER O POVÃO ACREDITAR,MOSTRA TAMBÉM QUE A DEMOCRACIA SÓ EXISTE ENQUANTO O POVO ACEITA AUMENTOS EXAGERADOS COMO OS PRATICADOS NO BRASIL,BASTA ANALIZAR OS PREÇOS DOS GÊNEROS ALIMENTÍCIOS TODOS OS MESES NOS MERCADOS,OS ABSURDOS QUE SÃO COBRADOS EM FORMA DE IMPOSTOS QUE NÃO SÃO INVESTIDOS EM TRANSPORTES, EM MORADIAS POPULARES OU EM SAÚDE PÚBLICA.

    PARABÉNS PELA INICIATIVA…O BRASIL NÃO VAI SER COMO A MAIORIA DOS POLÍTICOS GOSTARIAM QUE FOSSE,ELES QUEREM UM PAÍS DE FÁCIL MANIPULAÇÃO.

  10. É isso rapaziada, continuem a luta. A cada dia cresce o número de pessoas nas manifestações. Chegará um momento em que a polícia nazista de Alkimin e Haddad não terá bombas e balas de borracha suficientes para atingir a todos. A cada dia também mais gente está questionando a truculência dos policiais… mesmo os conservadores e a mídia de direita não têm mais como esconder as cenas de vandalismo da polícia. Segundo pesquisa da direitista “Folha de SP”, mais da metade da população de SP está a favor do movimento. Continuem a luta, que é linda e justa.

  11. Parabéns pela iniciativa MPL

    Esse é o ponto que chegou o Brasil, espero que com isso abra os olhos do povo que só ficam nas redes sociais, se preocupando com noticias fúteis e crendo na mídia que os engana, é o momento do povo indignado ir para as ruas e mudar o pais não trata só de 20 centavos todos sabem que esse país tem recursos pra ser um lugar melhor se não fossem peles desvios pelos bandidos do poder, protestantes são presos por formação de quadrilha inafiançável, enquanto ladrões estão por ai a solta por fiança pagas com cofre publico como assim?.

    Estamos juntos nessa luta para um país digno!

  12. Gostaria de saber se alguém está cobrando a abertura dos custos das empresas de transporte “público”? Se os governantes alegam que é impossível baixar as tarifas, provem! Com certeza as empresas apresentariam números maquiados e contas de chegar, mas esses números seriam certamente analisados e criticados – pela imprensa, estudantes, contabilistas, advogados e quem mais se interessar.

  13. bom legal o movimento, só tem uma BURRICE e faze-lo em local onde o trabalhado transitar para trabalha, ir trabalhar e volta para casa de um dia de trabalho. por que vocês não fazer esse quebra-quebra lá no morumbi, na casa do Jose serra, na casa de Fernando Hadaad, do PICARETA do Maluf. por esse ponto de vista esse Movimente e COVARDE!!! quebra o que e de tudo mundo, para as nossas vidas, enquanto os políticos PICARETAS citados esta rido de nossas e de suas caras, estão bem tranquilo. vocês tem que dificulta a vida deles e não a nossa. ai sim você serram forte e terão o apoio da população absoluta. muito obrigado por aceitarem minha opinião.
    grato.

  14. Parabéns pela iniciativa do movimento!

    A Revista Galileu divulgou matéria mostrando que é sim possível o TRANSPORTE PÚBLICO GRATUITO.

    http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI339223-17770,00-TARIFA+ZERO+E+POSSIVEL+CONHECA+CIDADES+QUE+TEM+TRANSPORTE+PUBLICO+GRATUITO.html

    Chega de catracas!

  15. Parabéns pela iniciativa MPL – SP !!!

    Vocês são o orgulho do Brasil !!!

  16. Participo do movimento nos bastidores, e estão corretos em agir dessa forma mais ‘fervorosa’.
    Se a prefeitura julga que não tem como a empresa ‘baixar’ o preço da passagem, muito simples. Divulguem o Balanço Patrimonial e DRE. Mostre que é ‘insustentável’ manter o preço naquele patamar.

    Estejam certos que os lucros estão na casa dos milhões para essa porcaria de serviço prestado.
    Sobre os 10 que estão detidos por formação de quadrilha … para vermos como esse país é nonsense, os petralhas mensaleiros desviaram bilhões dos cofres públicos, mataram inúmeras pessoas de ‘tabela’>sejam elas em filas de hospitais, bala perdida, estradas em péssimo estado causando acidentes e etc por falta de investimento, já que o dinheiro foi desviado>> e possivelmente não serão punidos por formação de quadrilha.

    A galera que é contra o movimento quer que vocês façam greve de fome, isso sim e ó, caso seja uma manifestação pacífica, estejam certos que vai continuar a mesma coisa.
    Assim como Renan no Senado (onde assinaram uma tal de petição que não deu em nada, pastor racista e homofóbico no congresso e etc.
    Para mudanças, só assim, como vcs estão fazendo.

    Obrigado por não fazerem parte dessa juventude que só pensa em redes sociais, lê muito e não opina sobre nada.
    Depois que vencerem essa batalha, o negócio é agir para tirar do poder o bando de bandidos que estão levando o país às ruínas.

    sds

  17. Tudo o que vocês estão fazendo é lindo, lutando por todos nós que utilizamos essa porcaria do transporte público de São Paulo. Vamos todos agora parar o metrô de São Paulo nos colocando entre os trilhos!
    A LUTA NÃO PODE PARAR

  18. Gostaria de saber sobre a liderança do movimento. Com que posso falar?