Nota pública sobre os atos do dia 17/06

Nota nº8: Nota pública sobre os atos do dia 17/06

Mais um dia se passou e o aumento não foi revogado. Mais de 100 mil pessoas foram para as ruas e mesmo assim a Prefeitura e o Governo do Estado continuam a fechar os olhos e os ouvidos para a vontade da população. Hoje estaremos novamente ocupando as ruas para barrar o aumento. Na Praça da Sé a partir das 17h.

Outras reivindicações estão presentes nos atos contra o aumento da tarifa, mas o motor das mobilizações e o fator de união entre os diversos manifestantes é esse aumento excludente.

Hoje, no Conselho da Cidade, o Prefeito Fernando Haddad se comprometeu com o MPL a marcar ainda essa semana uma reunião cuja pauta única é a revogação da tarifa. Não aceitaremos nada menos que a queda dos 20 centavos. Mesmo assim o prefeito insiste em dizer que baixar a tarifa é tirar dinheiro da educação e saúde. Isso não é verdade. Basta diminuir o enorme lucro dos empresários, já quem paga 70% do custo do transporte é o usuário, segundo a própria prefeitura.

Os atos convocados pelo Movimento Passe Livre de São Paulo continuarão a ter reivindicação central muito clara e concreta: a revogação imediata do aumento!

Diversos protestos ocorreram no país pedindo a redução das tarifas do transporte (Santos, Belém, Curitiba, Rio de Janeiro e Salvador). Hoje a tarifa caiu em Porto Alegre, João Pessoa, Campinas, Cuiabá, Manaus e outras cidades. E o apoio vindo de 30 cidades no exterior impulsiona com mais força ainda a nossa luta. Não sairemos das ruas enquanto a tarifa não baixar!

Não sairemos das ruas enquanto a tarifa não baixar!

Movimento Passe Livre – São Paulo

17/06/2013

ESPECIAL PET FABIOLA REIPERT - SP

One Reply to “Nota pública sobre os atos do dia 17/06”

  1. Obs:Boa noite, hoje tem muitas empresa tercerizada que ganha milhões encima dos prestadores de serviço. São os sindicado dessas categoria vigilante, auxiliar de limpeza ,porteiro,controladores de acesso . Essas empresa são membro do sinticado uns são diretor outros fazem alguma coisa no sinticado como eles vai defender os prestadores de serviço se eles são donos das suas própria empresa .Isso não pode mas acontecer tem que colocar alguém que realmente lutar pelo os nossos direito .O sindicado para lutar pelo seu direito vc tem que se sócio do sindicado e é queles querem . E quando vem no holherite o desconto do sindicado vem e não vale nada .só vale quando eles passam nos postos de serviço para que os prestadores de serviço entre de greve aí sim lembra dos prestadores de serviço .Isso também merece uma grande mudança sindical . Os empresario das empresa são membros e filias de sinticado como e que vai melhora os salário dos prestadores de serviço tercerizados .Isso e coisa para se pensar e muito ,muito,muito.

Deixe uma resposta