Samba em apoio à Ocupação Margarida Maria Alves

No início do ano, cerca de 60 famílias ocuparam um edifício abandonado na região da Luz, na luta para efetivar seu direito à moradia. Nos últimos meses, a Ocupacão Margarida Maria Alves vem resistindo em uma região visada pelo capital imobiliário e em processo de gentrificação, num terreno destinado à construção do Memorial da Democracia do Instituto Lula. Após um princípio de incêndio rapidamente controlado pelos moradores em junho, a Prefeitura ameaçou despejar as famílias. Em resposta o MMRC (Movimento de Moradia da Região Centro) realizou um ato (veja aqui), após o qual houve uma negociação onde se definiu os termos da saída dos moradores.

Mas a luta não para, e por isso no próximo sábado (20/07) será realizado um samba para apoiar as famílias no próximo passo de sua caminhada, arrecadando alimentos. O dinheiro arrecadado no evento será destinado para o pagamento das fianças dos lutadores presos durante os protestos contra o aumento puxados pelo MPL São Paulo. Afinal, se a luta por transporte e a luta por moradia são uma só luta pelo direito à cidade, nossa solidariedade deve caminhar junta.

Mais informações no evento do Facebook clicando aqui. Leia a chamada lançada pelo MMRC:

No próximo sábado, a Ocupação Margarida Maria Alves, localizada na Luz, terá um dia diferente: vamos fechar a rua do prédio ocupado e realizar inúmeras atividades culturais! Unindo a resistência em outro clima, trocando alegria e vivacidade entre moradores, crianças e todos os paulistanos, dar voz à questão da moradia e a necessidade da reforma urbana. Afinal, a cidade é pra que(m)?

Em reunião com o secretário da habitação foi acordado a saída dos moradores em troca de um cheque de R$ 900,00 reais a cada família e R$ 300,00 reais mensais como “bolsa aluguel”. Ora, sabemos que tal quantia para se morar em São Paulo é utópica.

O que forçou aos moradores a chegarem a este acordo foi o laudo da defesa civil que compromete o prédio da Ocupação. Mediante ao explicitado acima, o intuito da Ocupação Cultural será também de arrecadar 1kg de alimento não perecível para os moradores, para ajudar nos recursos destes que tem um caminho tão incerto agora.

Soubemos também através do Movimento Passe Livre que temos 16 pessoas presas por utilizarem o direito de manifesto. Com isso, a atividade cultural também arrecadará verba para ajuda da soltura destes nossos presos.

Por uma vida sem catracas, muros e grades! Toda cidade para todos!

1072539_10151515279688059_2029720818_o

4 Replies to “Samba em apoio à Ocupação Margarida Maria Alves”

  1. Sou servidor e trabalho com urnas eletrônicas há dez anos e posso dar minha opinião quanto às críticas que certo setor conservador volta e meia vem denunciando ocorrência de fraudes. Assisti a dois videos de pessoas do DEM e ligadas aos crentes que criticam no yutube as urnas eletrônicas. Mas com argumentos estapafúrdios e sem fundamentos. Querem o retorno do voto com papéis, o que enseja fraudes, como antigamente possibilitava e se fazia. As urnas eletrônicas foram colocadas á disposição de especialistas em informática da Universidade de Campinas, que colocaram à prova os testes e deram positivo quanto à confiabilidade do sistema. O sistema pode sofrer evoluções, como já está ocorrendo na digitalização para identificação do eleitor.Porém não vejo como garantia se a urna imprimir o voto ao eleitor, embora haja estudo a respeito. Pois a compra de voto seria muito facilitada, bastaria entregar o comprovante ao aliciador para receber o dinheiro prometido. O voto deixaria de ser secreto. Quanto ao sistema atual possibilita ao eleitor saber se o seu voto foi computado, inclusive no microterminal do mesário pode-se observar na telinha o número de eleitores que votaram anteriormente. Ademais, em todo o sistema eleitoral são procedidas medidas de segurança nas urnas, antes das votações e após a apuração. Por fim, a fiscalização é realizada por uma quantidade enorme de pessoas (servidores, juízes ,promotores, candidatos, representantes, advogados e fiscais de partidos, e pessoas comum do povo), caso houvesse dúvidas ou fraudes no sistema, com certeza haveria reclamações ou denúncias com base em fatos e evidências concretas. Se o sistema de voto direto (plebiscito) fosse mais praticado no Brasil, com certeza haveria mais participação dos cidadãos nos destinos do nosso país, e não ficariamos tão reféns do sistema de representação partidária, que sem dúvidas está muito desacreditado no mundo inteiro sobretudo por conta do financiamento dos partidos e candidatos por pessoas jurídicas.

  2. quero fazer parte do MPL-SP não to conseguindo entrar em contato por email. diz que o servidor ta com defeito! passa ai o email que eu mando pelo hotmail aqui msm vLW

  3. Por que vocês não convocam uma manifestação contra essa robalheira de mais de 20 anos do governo tucano, nas compras e manutenção da companhia de Metrô e CPTM em São Paulo. Reportagem da Revista Isto É narra os fatos desse bilionário desvio de dinheiro envolvendo os Governos Tucanos de Mário Covas, Serra e Alckimin. Será que isso é irrelevante para o movimento de vocês? Será que se não tivesse havido essa corrupção tucana, as passagens não poderiam ser zeradas? Ou vocês protegem os Tucanos?

  4. Nas próximas manifestações(COM URGÊNCIA), abordem o tema:URNA ELETRÔNICA. Apresentando propostas que a torne confiável.Noticiários nos dão conta da possibilidade de fraudes nas urnas eletrônicas utilizadas até as últimas eleições!.O TSE,precisa com urgência, exigir dos fabricantes das mesmas,dispositivos de segurança, capazes de imprimir o voto do eleitor com a quantidade de votos digitados até aquele momento na respectiva urna.Melhorias outras, os engenheiros da computação, interessados na lisura dos pleitos eleitorais do Brasil – Poderão acrescentar com propriedade.

Deixe uma resposta