Repúdio à violência da PM no Metrô!

Na última terça-feira (20/08), após reprimir um ato que protestava contra os desvios no metrô no centro da cidade, a Polícia Militar invadiu as estações República e Anhangabaú para perseguir os manifestantes, armada com cassetetes e escudos do Choque. Não bastasse a humilhação coletiva a que somos submetidos todos os dias, o metrô agora é também palco da violência da PM. Repudiamos a ação da Polícia Militar e nos solidarizamos com os lutadores reprimidos! Publicamos abaixo a nota de repúdio lançada pelo Sindicato dos Metroviários:

NOTA DE REPÚDIO CONTRA A ATUAÇÃO DA PM NO METRÔ DE SÃO PAULO
O Sindicato dos Metroviários de São Paulo repudia publicamente a ação da PM no interior do metrô, na noite 20 de agosto, entre as estações República e Anhangabaú.
É inaceitável que se crie um clima de tensão, com agentes armados e paramentados para o enfrentamento, no interior de um sistema de transporte enclausurado e superlotado. A possibilidade de tal ação se transformar em um desastre sempre fica por um fio.
A solução para os problemas de transporte não é perseguir manifestantes, mas sim usar esses órgãos públicos para prender quem depreda os transportes, ou seja, a máfia declarada que rouba do povo para se enriquecer, em detrimento dos bons serviços.
A atuação da PM dento do metrô, perseguindo manifestantes contrários ao governador Geraldo Alckmin, que participa de um cartel que age nas obras do metrô e trens, foi noticiada pelo jornal Folha de S. Paulo, na edição de 21 de agosto de 2013, na primeira página.
Sindicato dos Metroviários de São Paulo

ftp_policiametro1

Toda força pra quem luta!
Por uma vida sem catracas em sem PM!

One Reply to “Repúdio à violência da PM no Metrô!”

  1. eu tenho minhas opiniões publicadas em vários artigos.Uma delas, é:…desmilitarizar a PM, dar educação política aos policiais, convencer aos futuros alunos policiais, que ele também é um trabalhador a serviço dos trabalhadores e pago pelos trabalhadores, que têm que ser imparciais, e que serão punidos exemplarmente se cometer crimes, contravenções etc.Nêsse caso específico, no metrô, que o governador se tranque num xadres, e leve seus comandados com ele.

Deixe uma resposta