25/10 – Ato no Centro por TARIFA ZERO para fechar a semana de luta por transporte público

1209297_579971635392425_891845025_n

Atualmente, o transporte não é público: é um negócio. E embora ele pareça um caos, está muito bem organizado – não para nós, os usuários, mas para os poucos que lucram muito com a nossa passagem. Para eles, nosso aperto é um ótimo negócio: como a prefeitura paga as empresas de ônibus por passageiro transportado, quanto mais gente elas enfiarem dentro de cada ônibus, mais dinheiro vão ganhar, com o menor custo possível. Para elas, é melhor que o ônibus passe pouco, e sempre lotado.

É pelo mesmo motivo que cada vez mais linhas são divididas ao meio com a construção de terminais na cidade. O prejuízo do usuário, forçado a pegar mais de um ônibus e a enfrentar uma fila enorme no terminal, representa lucro para o empresário, que ganha mais a cada vez que giramos catraca. Ao cortar linhas e construir terminais como Campo Limpo, Grajaú, Jd. Ângela, Butantã e tantos outros que ainda estão no papel, o governo não consulta ninguém e atrapalha a vida de muita gente. Enquanto isso, os empresários saem no lucro.

Ir e vir deixa de ser um direito para se transformar em uma mercadoria, feita para dar dinheiro para os de cima, vendida por um preço que muitos não podem pagar.

A catraca é uma barreira que impede aqueles que constroem e fazem a cidade funcionar a cada dia de usufruir dela. Quem é excluído do transporte, porque não tem dinheiro para a passagem, é excluído da cidade, deixa de ter acesso a tudo aquilo que está a um ônibus, a um trem de distância: a escola, o hospital, o centro cultural, a casa dos amigos e da família, um emprego, uma casa. Ao revogar o aumento da passagem em junho, derrubamos alguns tijolos desse muro, mas não podemos parar por aí! Enquanto o transporte tiver catraca, a cidade não será de todos. Nossa luta é pela Tarifa Zero!

Cobrar por um serviço que beneficia toda a cidade, como o transporte coletivo, só de quem usa (na maioria das vezes porque não tem outra opção) não é uma escolha técnica ou econômica. É uma decisão política: de quais interesses serão atendidos. Se antes eles diziam que baixar a passagem era impossível, a revolta do povo provou que não é. Se agora eles dizem que Tarifa Zero é impossível, nossa luta provará que eles estão errados.

Um transporte público de verdade não pode ser um impedimento para a gente sair de casa, seja porque não tem dinheiro, seja porque não quer enfrentar o sufoco dos ônibus e vagões e perder horas nas filas e no trânsito. Um transporte público de verdade é o que atende às necessidades da população, sem excluir quem não tem dinheiro. Somos nós, que usamos ônibus, trem e metrô todo dia, que sabemos como é o transporte que queremos, por onde devem passar as linhas, quantos ônibus são necessários.

20 centavos foi só o começo! Em junho, mostramos que é o povo, quando se une, que manda no transporte e que se a gente não quiser, a tarifa não vai subir. Agora queremos mais! E não adianta esperar que quem lucra com nosso sufoco vai fazer algo para mudar ele: é só a nossa luta que vai fazer um transporte de fato público.

O Movimento Passe Livre (MPL) é um movimento social autônomo e apartidário que luta para que o transporte seja público de verdade: gerido fora da iniciativa privada, sem tarifa e nem catraca. Se queremos transformar o sistema de transporte e a cidade, não podemos esperar de braços cruzados. Por isso nos organizamos em nossos bairros e escolas – do Grajaú a Pirituba, da M’Boi a São Mateus – para discutir os problemas do transporte e lutar, nem que para isso seja preciso sair às ruas, fechar avenidas, montar barricadas, ocupar terminais e pular catracas.

Todos os anos, celebramos a semana do 26 de outubro como uma ocasião de luta. Essa data é importante porque remonta às mobilizações e conquistas da Revolta da Catraca de 2004 em Florianópolis, uma das lutas que deu origem ao Movimento Passe Livre. É preciso manter viva a memória para sempre lembrar que nossa luta não começou agora – e que só vai terminar com o fim de todas as catracas.

09.10.2013

MPL-SP

[Veja o evento no facebook aqui: https://www.facebook.com/events/1397777973788282/.]

11 Replies to “25/10 – Ato no Centro por TARIFA ZERO para fechar a semana de luta por transporte público”

  1. Ae cavalo,

    quanto vale a sua vida?

    a vida é uma coisa que o dinheiro não compra, tais como todas as outras coisas boas, como o amor, a felicidade…

    Acho bom você começar a mudar a sua concepção de realidade, essa ideia que para tudo se precisa trabalhar para um patrão branco porco descendente de europeu que ganhou terras e dinheiro do estado brasileiro por 2 séculos. Trabalhar para ganhar 100 vezes menos do que o seu patrão ganha sem fazer nada.

    Mude o seu pensamento, pois na cidade não existem só ativistas pacíficos que pedem por passe livre, por respeito, saúde e educação para o povo.

    Existem “terroristas”(já que é assim que vocês gostam de chamar) que estão dispostos a tirar vidas de quem for contra o povo, de quem abusa, tortura, estupra e pratica genocídio contra o verdadeiro povo brasileiro. Pessoas dispostas a assumir a guerra de classes através da luta armada.

    Assim como você disse que tenho que trabalhar para pagar 3,20 em um transporte que pode me matar e me machucar, me deixar sequelas físicas e psicológicas. Eu posso comprar um fuzil com 30 mil reais e furar todo o seu carro blindado. Pense bem, você confia mesmo que discar 190 poderá de salvar?

    Luta Armada!
    CRIME NA CIDADE!

  2. Esse Horse é a personificação de todo ideal nefasto do capitalismo neoliberal. Ou é um empresário, dono dessas empresas que lucram e muito as nossas custas, ou é alguém alienado pela mídia. Alguém de ultradireita que vê qualquer movimento social como impecilho para sua “vida de trabalhador”,aliás, será que trabalha mesmo ou lucra com a exploração dos trabalhadores?

  3. Terminais não são feitos para gerar lucro e nem para atrapalhar, e sim para RACIONALIZAR o transporte: diminuição de frota e de tempo de viagem, aumento de velocidade e de desempenho, diminuição da emissão de poluentes, e por aí vai. Linhas troncais e linhas alimentadoras, o básico de Planejamento de Transporte.

  4. Pingback: Klaus Hart Brasilientexte » Brasiliens Systemkritikerproteste 2013: Mindestens 98 Journalisten seit Juni von Polizeibeamten bei Demonstrationen attackiert - Hartgummischrot, Schlagstockeinsatz etc. Teilweise regelrechte Jagd auf Reporter, laut Journ

  5. Imagine o caos, se a tarifa for Zero. O que já é lotado, ficará mais ainda e sem investimento (tarifa) a melhoria seria muito mais lenta, devemos lutar pela melhoria, devemos lutar por um acordo, entre governo e usuários, aumento de passagem, aumento na infraestrutura e melhores condições e ai sim seria uma boa ideia. Ao invés de zerar a tarifa coloquemos políticos melhores na administração do país, o povo no momento do voto deve ser maduro e sábio.
    Acredito que a maioria do povo nem se quer pesquisa em quem esta votando, mas sim vota naquele candidato que apresenta a melhor proposta na televisão (isso se assistirem os partidos, geralmente desligam a televisão, certo?) mas o mais importantes é votar no candidato que possui “menos problemas”. O Brasil só vai mudar, se o povo agir com mais inteligência.

  6. Já pensaram em tentar produzir alguma coisa que gere lucro e, com este lucro, gerar empregos e, aí sim, distribuir a sua riqueza?
    A mentalidade de vocês é medonha: “Existo, logo, devem me manter e dar tudo que preciso”.
    Vocês acreditam no socialismo/comunismo mantido com o dinheiro de quem produz e mantém tudo funcionando. Já pensaram em contribuir alguma vez? É claro que não.
    Vocês querem poder, querem cargos púlicos e estabilidade mantida às custas do povo.
    Querem implementar e aplicar o socialismo/comunismo? Ótimo! É vocês irem para um país socialista/comunista. O Brasil não tem lugar para vocês.
    Vocês atrapalham a população! Atrapalham o desenvolvimento! Vocês sacrificam os outros ao invés de sacrificar o bem estar de vocês nesse movimento de palhaços. Este movimento é egoísta.

  7. Vocês têm problema na cabeça.
    Quem abre uma empresa, abre para ter lucro. Nada deve ser de graça!
    Usou, pagou. É simples.
    A única coisa que vocês provaram até agora é que sabem atrapalhar a vida de quem trabalha de verdade.
    Também conseguiram um aumento no IPTU de 20% por causa de R$0,20. Imaginem este aumento com uma redução na tarifa de R3,00.
    Estudem, trabalhem e ganhem dinheiro para sustentar seu transporte. Lutem contra a corrupção e não contra ideais absurdos e irracionais.
    Esta cidade não comporta mais gente! Limitar a vinda de mais pessoas para cá impondo tarifas e impostos mais altos. Fazer caridade com o dinheiro dos outros é hipocrisia. Gahnem o seu dinheiro e ajudem quem vocês quiserem com o dinheiro de vocês!
    Espero que vocês apanhem muito nos protestos. Essa mentalidade de vocês é devida à falta de surra e QI reduzido. Saiam das ruas e voltem para as escolas, faculdades. Aprendam a produzir alguma coisa, ao invés de ficar pedindo de graça.

  8. Pingback: Movimento Passe Livre – São Paulo » Blog Archive » Ato por TARIFA ZERO no Centro

  9. Pingback: BRASIL – MPL – SEMANA DE LUTA POR TRANSPORTE PÚBLICO: Agora só faltam R$3. | A Viagem dos Argonautas

  10. Precisamos iniciar uma luta por SAÚDE LIVRE Nada relativo à saúde deve ser cobrado, o Estado tem que tomar conta dos hospitais, clinicas, farmácias e indústrias químicas.

  11. Pingback: Movimento Passe Livre – São Paulo » Blog Archive » Agora só faltam R$3. Semana de luta por transporte público!

Deixe uma resposta