4º Ato pelo retorno da linha 577T-10 Jd. Miriam/ Vl. Gomes

O Movimento Passe Livre é solidário  à luta dos moradores da Vila Gomes, no Butantã, que tiveram sua linha 577T – o “azulzinho” – reduzida do Jd. Miriam até o Metrô Ana Rosa em outubro do ano passado pela SPTrans, com o objetivo claro de maximizar o lucro dos empresários de ônibus, em nome da “racionalidade” técnica do sistema, mas prejudicando assim a vida dos usuários. Organizados e em luta desde o fim de 2013, os moradores já se mobilizaram várias vezes, pressionaram o secretário de transporte, organizaram três atos, e voltam às ruas no próximo sábado, às 10h.
Nosso apoio à luta da Vila Gomes! Contra os cortes de linha, organização e luta em cada bairro!577T, A LUTA É PRA VALER!!
azulzinho-3oato1
Segue abaixo a nota escrita pelo “Movimento Volta Azulzinho”:
SE VOCÊ PARTICIPAR, O AZULZINHO VAI VOLTAR!Data: 22/03 (sábado)
Concentração: 10h
Local: Praça Elis Regina

A audiência pública para debater o retorno da linha de ônibus 577T/10 Jardim Miriam/ Vila Gomes teve êxito. Um dos principais encaminhamentos da reunião foi o indicativo de uma grande audiência com representantes do Poder Público no bairro. Para atingirmos esse objetivo, a pressão popular é extremamente importante. “Ir para a rua” é o jeito mais eficaz para concretizar tal propósito.

PROMESSA NÃO ATENDIDA

Em 20 de fevereiro de 2014, o secretário municipal de transportes Jilmar Tatto reconheceu essas falhas perante militantes do Movimento Passe Livre (MPL) e moradores de bairros afetados pelo corte de linhas, como Vila Gomes, São Mateus e Cidade Tiradentes. Além de congelar a secção de itinerários de ônibus, Tatto também prometeu que vai se reunir com moradores organizados na Vila Gomes para rever o corte da linha 577T/10 Vl. Gomes/ Jd. Miriam, apelidado carinhosamente como azulzinho.

Até o momento, o Movimento Volta Jd. Miriam/ Vl. Gomes, formado por moradores mobilizados pelo retorno do 577T no Butantã, não foi procurado para o tão aguardado encontro. Curiosamente, um dos membros do movimento recebeu um e-mail da Assessoria de Relacionamento com o Usuário da SPTrans em resposta a reivindicação pelo retorno do azulzinho em 05 de março. Em tal solicitação, também sugeriu-se que a linha 8018/10 Vila Sônia/ Vila Gomes tivesse seu itinerário alterado até a região da Avenida Paulista, tornando o itinerário mais útil para os moradores da zona oeste.

Em nenhum momento houve semelhança entre as opiniões expressas no e-mail enviado pela SPTrans e as falas de Tatto no encontro com o MPL. No texto, afirma-se que o retorno da linha é inviável, opinião que contraria todas as afirmações do secretário de transportes em 20 de fevereiro. As únicas alternativas dadas aos moradores da Vila Gomes e adjacências são as linhas 8018/10 Vila Sônia/ Vila Gomes e 8018/21 Butantã/ Vila Gomes, as quais já foram apelidadas de fantasmas, visto que o número de usuários que embarcam nesses ônibus é muito pequeno em relação a qualquer outra linha que circula na zona oeste. O descumprimento da promessa de Tatto foi uma das principais motivações para a audiência e para o 4º ato.

HISTÓRICO

Desde outubro de 2013, moradores da Vila Gomes estão mobilizados pelo retorno da linha 577T/10 Jd. Miriam / Vila Gomes, apelidada de “azulzinho”. A partir de 26/10, o 577T parte do metrô Ana Rosa em direção ao Jd. Miriam. Para a população da zona oeste, a opção oferecida foi a linha 8018/10 Vila Sônia/ Vila Gomes, que definitivamente não atende a demanda da região.

Foram organizados dois abaixo-assinados: o primeiro foi entregue ainda em outubro para a Subprefeitura Butantã, com cerca de 2 mil assinaturas. O segundo, encaminhado em janeiro para o Ministério Público, contou com quase 4 mil assinaturas. Também foram convocadas duas audiências públicas para o debate do problema, que aconteceram em 27/01 e 17/03. Além destas ações, foram realizadas várias reuniões na Praça Elis Regina para decidir os rumos do movimento e três atos pela volta da linha 577T.

A redução do 577T teve muitas consequências negativas. Observe:

– Ausência de uma linha no Butantã que percorra o “Circuito dos Hospitais”. Entre a Vl. Gomes e o metrô Santa Cruz, existem pelo menos 15 unidades hospitalares. Em um setor censitário que possui a segunda maior concentração de idosos em toda a cidade de São Paulo, esta é uma consequência gravíssima;

– Fim de uma das melhores opções para fazer o trajeto entre Butantã e Av. Paulista, Vl. Mariana e proximidades;

– Lotação ainda maior de linhas como 715M/10 Lgo. da Pólvora, 8705/10 Anhangabaú e 8707/10 Term. Princesa Isabel, com viagens ainda mais demoradas. Quem sai ganhando nesta situação? Os empresários de ônibus, que ainda ganham por catraca girada;

– Lotação da linha 4-Amarela do metrô, que já está saturada. Para completar o pacote, viagens ainda mais caras para a população (-R$ 0,20 + R$ 1,65 = prejuízo para você!).

Reorganização e fim da sobreposição de linhas. Essas foram as principais justificativas da Prefeitura para os cortes de linha em São Paulo. No papel, é tudo perfeito: cortam-se as linhas que fazem a ligação centro-bairro, levam-se os usuários para o metrô e todos ficam satisfeitos. A realidade é outra: os ônibus vindos de outros bairros ficam mais lotados, o metrô, ainda mais saturado, o tempo de viagem aumenta e todos ficam estressados. Só quem passa por isso todos os dias sabe o tamanho dos sofrimentos e dificuldades. Para finalizar, uma contradição: se o objetivo é acabar com as sobreposições, a criação do 8018/21 já começou errada.

CIDADE MUDA NÃO MUDA!
#voltaazulzinho

One Reply to “4º Ato pelo retorno da linha 577T-10 Jd. Miriam/ Vl. Gomes”

  1. pessoal,

    Desejo parabeniza-los pelo movimento e gostaria de acrescentar meu nome da lista de assinaturas. Afinal, após vinte anos utilizando o ‘azulzinho’ também fiquei a pé, de repente! Já escrevi para o SPTrans, sem sucesso.

    Maria Costa
    cel. 11-99970-5727

Deixe uma resposta