Após moradores do Marsilac se acorrentarem na Prefeitura em protesto, linha tem prazo de 20 dias para operar

Na manhã desta segunda-feira (28), três moradores do Marsilac, bairro do extremo sul da capital, se acorrentaram no saguão da Prefeitura exigindo uma reunião pública diretamente com Haddad para discutir a criação de duas linhas de ônibus gratuitas na região. Um pedido de reunião havia sido protocolado uma semana antes, mas não recebeu nenhuma resposta. Enquanto não fossem atendidos, os moradores ameaçavam ir se acorrentado um a um a cada meia-hora. Após o acorrentamento, a Prefeitura bloqueou todas as entradas do prédio e, do lado de fora, dezenas de famílias protestavam junto a uma bateria.

Leia mais notícias sobre o ato: Passa Palavra, Fórum, EBC.

Após algumas horas, os moradores aceitaram se reunir com adjuntos da Secretaria de Transportes e da Secretaria de Relações Governamentais para discutir a reivindicação da linha de ônibus. Nessa reunião, ficou determinado que, após a aprovação ambiental da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, a Prefeitura tem o prazo de 20 dias para colocar a linha em operação. No entanto, essa aprovação já existe há meses. Na reunião, foram cogitadas duas propostas para as linhas: ou dois circulares rurais gratuitos (Mambu / Marsilac e Reserva / Embura) ou uma linha regular tarifada com um trajeto mais extenso (Mambu / Terminal Parelheiros).

Sabemos que esses compromissos só foram conquistados pela força da ação direta, mas que a luta continua até a linha entrar em operação. Se em 20 dias o ônibus não operar, o Marsilac vai cobrar!

Ô Ô Haddad, como é que pode? Marsilac e Mambu não tem transporte!

mambu-hoje mambu-marsilac-mpl-prefeitura mambu protesto-prefeitura-linhas-onibus-jduranmachfee-futura-press mambu-acorre