Ato na frente da SPTrans: entrega de documento sobre o corte de linhas na M’Boi

m'boi-mirim

18/06, 10H – EM FRENTE À SPTRANS (R. BOAVISTA, 236) – divulgue!

Há anos a M’Boi Mirim é palco de grandes lutas pela melhoria do transporte. Frente ao descaso gritante da prefeitura, nós, os usuários, ocupamos a rua por várias vezes exigindo a duplicação total da estrada (e não da ponte!) e a volta das linhas de ônibus diretas até o centro, que foram cortadas ao meio.

No entanto, as repostas que ouvimos da prefeitura sempre foram muito parecidas: eles sempre vêm com dados técnicos, e falam que não podem fazer nada sem um estudo antes. No fim das contas sempre dá na mesma, eles enrolam, enrolam, e não fazem nada.

Para responder a essa enrolação, resolvemos, em parceria com o grupo APÉ Mobilidade, do Escritório Piloto da POLI-USP, fazer um estudo técnico entre nós mesmos, baseado no que pensam os trabalhadores que usam o transporte todos os dias, e não os governantes. Afinal, quem sabe melhor os problemas do transporte público do que quem anda de ônibus todos os dias?

Desde o inicio do ano temos feito reuniões abertas e trabalhado conjuntamente para construir uma discussão com os termos e os dados que o próprio governo usa. Tudo para mostrar que o que eles obrigam a gente a passar todos os dias dentro dos ônibus, nas filas e no terminal está completamente errado. nas filas e no terminal está completamente errado. Do nosso debate, saiu um documento que pode nos ajudar muito na nossa luta contra os cortes de linhas e por um transporte decente.

Essa quarta, vamos ao centro da cidade bater na porta da SP Trans entregar o nosso texto. Quanto mais gente for melhor, para que possamos fazer bastante barulho até sermos recebidos. Por isso, estão todos convocados! Com essa ação mostraremos para eles que os usuários do transporte da M’Boi Mirim estão organizados, e que nossa luta não vai parar até que tenha nossa luta não vai parar até que tenhamos um transporte de qualidade, verdadeiramente público, onde quem manda sejam os trabalhadores.

Deixe uma resposta