NENHUM CENTAVO A MAIS!

Prefeitura discute subir a tarifa. Qualquer aumento é um roubo!

No início de novembro, um diretor financeiro da SPTrans declarou que não seria necessário um aumento na tarifa de ônibus em 2015. Curiosamente, no dia seguinte, o Secretário de Transportes Jilmar Tatto apareceu contradizendo: “não dá pra descartar, estamos avaliando”. A polêmica entre Tatto e seu burocrata deixa claro que não se trata de um problema técnico: o preço da passagem é uma questão política.

Qual será a decisão política da Prefeitura? Oficialmente, ela diz aguardar o resultado da auditoria das empresas de ônibus, que sairá no dia 10/12. Mas sabemos que no dia 19/11, os prefeitos da região metropolitana e Haddad discutiram a possibilidade de um aumento unificado em toda grande São Paulo. Mais uma vez, um valor único para a tarifa em cidades que possuem sistemas de transporte, custos e tamanhos totalmente diferentes, evidencia a questão política, e não técnica, por trás do aumento. Em Guarulhos, o aumento para R$3,50 já foi anunciado.

Já Alckmin, questionado sobre as tarifas do Metrô e da CPTM, desconversa dizendo: “Vamos esperar o ano que vem”. Ora, o Metrô não só não tem nenhum subsídio como a tarifa de todas as demais linhas é usado para garantir as altas taxas de lucro da ViaQuatro, empresa privada da Linha Amarela, que está para ser subsidiada pelo estado em meio bilhão de reais pelos atrasos causados pelo próprio modelo privatista que este optou por adotar. Isso sem falar nas centenas de milhões desviadas pelos cartéis da Alstom…

Em várias ocasiões, a Prefeitura se queixa do alto subsídio para manter a tarifa congelada, que já chega a quase 2 bilhões de reais. Mas desse valor, 400 milhões são só para manter o Bilhete Mensal, que um ano após a implementação é usado por apenas 1% dos passageiros! Para onde vai o dinheiro do Bilhete Mensal, se poucos estão utilizando? Esse dinheiro não seria melhor destinado para diminuir a tarifa para toda população? Ao mesmo tempo, hoje a prefeitura sequer sabe informar quanto lucram e quanto gastam de fato as empresas de ônibus. Uma empresa estrangeira foi contratada por R$ 4 milhões para investigar as planilhas de custos e seu relatório preliminar já indicou que as concessionárias fraudaram o caixa municipal em pelo menos R$ 30 milhões.

Enquanto as empresas lucram cada vez mais em cima do dinheiro público e do nosso sufoco – maximizando os ganhos com a superlotação dos ônibus, a remuneração por passageiro, os cortes de linhas e as filas nos terminais – ainda se cogita aumentar o preço da passagem… Por que não se fala em tirar os lucros das empresas, ao invés de cobrar mais por um direito de todos? Desde junho de 2013, o subsídio das empresas só aumentou, sem qualquer diminuição nos seus lucros, ou mudança na forma de remuneração.

Todo aumento da tarifa é um roubo porque cobrar pelo uso do transporte é uma injustiça. O transporte deve ser público, acessível para todos e não apenas para aqueles que podem pagar. Em junho de 2013, a população parou a cidade e forçou os governos e empresários a abaixarem a passagem. Mostrou que tem poder para decidir como deve ser o transporte. Na luta, não aceitaremos nenhum aumento! A ÚNICA TARIFA JUSTA É A TARIFA ZERO!

Movimento Passe Livre – São Paulo (MPL-SP)

Novembro de 2014

tarifa-sp

2 Replies to “NENHUM CENTAVO A MAIS!”

  1. Sempre acreditei na proposta do MPL. Eu sabia que um dia ia estourar.
    Pena que não foi no governo do Kassab =/
    Mas enfim, sou do ABC, e dou irrestritamente meu apoio aos ideais desse movimento, que hoje é um dos que mais faz sentido no Brasil.Não foi atoa o inicio das manifestações por causa da tarifa. O país inteiro concorda que as tarifas são abusivas, por isso esse movimento cresceu. #tamojunto

  2. to com voçes pra que aumento sempre fode como pobre brasileiro vamos pra rua sim lutar contra isso estarei nas convocaçoes.

Deixe uma resposta