Sem ônibus, moradores da Zona Leste fazem linha popular no domingo, 14/12

novohorizonte3

Moradores do Jd. Novo Horizonte I e II, na zona leste de São Paulo, protestam contra a total falta de transporte em seu bairro neste domingo (14/12). A comunidade reivindica a criação de um circular até o Metrô ITAQUERA, mas não obteve qualquer resposta do poder público até hoje. Por isso os moradores decidiram fazer por si próprios uma “linha popular” em protesto, colocando um veículo para circular gratuitamente no bairro.

Os moradores do Horizonte se inspiraram na experiência das comunidades do Marsilac, extremo sul da capital, que no início do ano também fizeram uma “linha popular” com tarifa zero para exigir a criação de um transporte em sua região. Agora os bairros estão unidos na mesma luta!

A “linha popular” terá início às 9h em frente à Igreja Católica São Judas, e irá operar ao longo de todo o dia com Tarifa Zero. Reforçando a luta, militantes do Fórum Popular de Saúde de Itaquera organizarão um “posto de saúde popular”, pois também não há UBS na comunidade.

Por um transporte público no Jd. Novo Horizonte I e II! Chega de andar a pé!

Página do movimento: https://www.facebook.com/pages/Por-um-Transporte-P%C3%BAblico-no-Jd-Horizonte-I-e-II/350530601784643

LOCAL: Rua Guchi Shigueta, 72 – Jd. Novo Horizonte

DATA: 14/12, das 9h às 18h

 

One Reply to “Sem ônibus, moradores da Zona Leste fazem linha popular no domingo, 14/12”

  1. Olá, gostaria de mais informações de como conseguiram formar essa linha. Ela será permanente ou só neste domingo? Como conseguiram o veículo? Como agir com a fiscalização caso queiram proibir?
    Moro numa cidade onde o transporte público é monopólio de uma família há anos, os trajetos são absurdos (vc passeia pela cidade toda chegando a levar mais de 1 hora pra chegar ao local pretendido numa cidade que é menor que alguns bairros de São Paulo – 30 mil habitantes), só atende as ruas principais, passam a cada 40 ou 50 nos pontos e nem pensam em abrir novas linhas ou reestudar isso. A tarifa não é cara comparada com a de SP (R$ 1,80) mas os serviços não servem para quem de fato precisam do transporte público.
    Somos fracos ainda, mas tentamos fazer algo, por isso conto com a ajuda e dicas de vocês.

    Obrigada.

Deixe uma resposta