1º GRANDE ATO CONTRA A TARIFA

atocontratarifa

O prefeito Fernando Haddad já confirmou que a tarifa de ônibus em São Paulo vai aumentar no início de janeiro. O governador Geraldo Alckmin, por sua vez, afirmou que as passagens do Metrô e da CPTM devem subir junto. Movimentar-se pela cidade, algo pelo qual não deveríamos ter que pagar, agora vai custar R$ 3,50 – e pra quem pega metrô e ônibus, vai para R$ 5,45.

Cada vez que a tarifa sobe, aumenta o número de pessoas excluídas do transporte coletivo. Com menos gente circulando, novos aumentos serão necessários, numa espiral que diminui cada vez mais o direito à cidade da população. Entre nós e a cidade (que nós mesmos fazemos funcionar!) existe uma catraca que cobra cada vez mais caro. É que para os de cima, ninguém tem que sair da periferia se não for para trabalhar ou – se tiver dinheiro – para consumir. Além disso, nos obrigam a pagar por ônibus lotados em linhas e trajetos sobre os quais nada decidimos.

Por isso convocamos todas e todos para o 1º GRANDE ATO CONTRA A TARIFA, na sexta-feira (09/01), com concentração a partir das 17h em frente ao Teatro Municipal (próximo ao metrô Anhangabaú e do terminal Bandeira). Na mesma semana, na segunda-feira (05/01), realizaremos uma aula pública contra a tarifa em frente à prefeitura da cidade (se é que alguém ali ainda quer aprender alguma coisa).

Como sempre, a prefeitura alega que o aumento é inferior à inflação do período. Mas um direito pode ser medido pela inflação? O direito de se locomover não deve ter preço. Transporte não é mercadoria!

Cobrar pelo transporte – que deveria ser público de verdade – e ainda aumentar esse preço é uma escolha política pela exclusão de pessoas e em favor do lucro dos empresários de ônibus. Este aumento soa mais absurdo quando constatamos que uma auditoria acaba de provar que milhões foram desviados pelas empresas do transporte. Reduzir seu lucro exorbitante e cobrar o dinheiro roubado seria suficiente para manter o preço da tarifa ou até mesmo reduzi-la.

O passe livre estudantil anunciado pela prefeitura é uma conquista da luta do povo, que foi às ruas em 2013. Mas não é Tarifa Zero! A medida ainda está longe do que é fundamental: enquanto o transporte continuar sendo tratado como mercadoria e enquanto houver tarifa e aumentos, haverá luta da população, se organizando e resistindo em cada canto da cidade!

Não aceitaremos nenhum centavo a mais! Agora é de R$ 3 para baixo, até zerar!

A luta segue até tarifa zero para TODAS E TODOS!

CONTRA A TARIFA!

[Acesse e divulgue aqui o evento no Facebook.]

16 Replies to “1º GRANDE ATO CONTRA A TARIFA”

  1. Pingback: Resposta à matéria da CartaCapital : Passa Palavra

  2. Viver com transporte gratuito é um sonho! Mas que tal vcs se dedicarem a mostrar como financiá-lo sem onerar ainda mais quem já paga imposto, ou seja, a classe média, não importa se baixa, média ou alta, que, inclusive, é a origem da esmagadora maioria de quem faz parte do movimento?! Se isso for realmente possível, 100% da população brasileira será favorável ao MPL. Simples assim.

  3. FOI PURA BRUTALIDADE DA POLICIA. JOGARAM BOMBAS EM UM PROTESTO PACÍFICO. TIVE QUE CORRER PARA NÃO SER PEGO POR ALGUMA DELAS. NÃO QUERIA ME MACHUCAR MAIS SERIAMENTE. A LUTA CONTINUA. FOI PURA REPRESSAO.

  4. ESPERO QUE O MOVIMENTO TAMBÉM COBRA DOS POLITICOS EM RELAÇÃO A CORRUPÇÃO
    PRATICADA PELO PT NA PETROBRAS. NÃO HÁ CORRUPÇÃO – ISSO SIM É MOVIMENTO.

  5. Este movimento é político-partidário tentando causar impacto. Tarifa zero … porque? Por acaso os ônibus não tem custo? Patético!

  6. Se o MPL conseguir evitar o aumento todas as cidades do país terão que voltar atras porque sabem que a união de manifestantes será nacional como foi em 2013, por isso o movimento nao pode desistir,

  7. TARIFA ZERO JÁ, PARA TODOS OS ESTUDANDES (S/EXCESSÃO) DO BRASIL!!!

  8. Gente, desta vez Haddad e companhia aproveitaram a calmaria das festas de fim de ano e férias de verão para tomar esta decisão vertical sem consultar a população. E o aumento agora foi de 0,50 – isso é gravíssimo dado que em 2013 houve um levante devido a 0,20. Não podemos aceitar este aumento, sob hipótese alguma.

    Fernando Haddad e companhia estão achando que dessa vez o reajuste irá descer garganta abaixo da população na base do “aceita que dói menos”.

    Não podemos sob hipótese alguma abaixar a cabeça. Espero que o movimento, a passeata seja bem organizada, CLARA nos objetivos, não se venda. É crucial que o movimento também possa demonstrar que o levante não é também apenas em relação a tarifa mas também às más condições de vida à que estão submetidos os trabalhadores desta metrópole. Com um governador claramente higienista e um prefeito medroso e que cede à pressões do empresariado, o MPL não pode recuar.

    Deixemos claro também que a pauta da tarifa também é transversal, ou seja, ela é um arquétipo de como a democracia “delegada” é danosa à população. As decisões da cidade devem ser realizadas com consulta dos cidadãos como um todo e não com consulta só de empresários.

    Nós precisamos insuflar e mobilizar a população da mesma forma que em 2013. Juntos, vocês entenderão que não há barreiras que segurem um povo unido e com um objetivo em mente.

    Vencemos 2013, será que vamos perder 2015? Não podemos!

  9. MORO EM TABOÃO DA SERRA AQUI DE 3.45 VAI PARA 4.05 UM ABSURDO POIS ÁRECE QUE TRANSPORTAM ANIMAIS DE TÃO CHEIO QUE VÃO OS ÔNIBUS AS 6 DA MANHÃ ACHO QUE SÓ PROTESTAR NÃO ADIANTA DEVERIáMOS NÃO IR AS URNAS MAIS VOTar,só temos corruptos no governo estou indignada

  10. Gente,

    Apoio totalmente as manifestações.
    Mas percebam que é importante mostrar ao prefeito e aos demais governantes que eles “compram” transporte público de forma errada, beneficiando a lotação e a máfia de empresas que prestam o serviço há muito tempo.

    Comecem mudando o foco e abrindo os olhos deles (e as planilhas do Haddad).
    Daí, sim, o passo seguinte pode ser dado.

    Abraços

  11. Fico muito feliz em saber que vocês estão na ativa! Um país corrupto, como este em que vivemos, não deve ficar livre de manifestações. Apoio, e sempre apoiarei as manifestações. Devemos sair às ruas sim! E mostrarmos para estes governantes covardes que não estamos dormindo.
    Parabéns! Pela organização dos atos, pela coragem e principalmente pela juventude engajada. É exatamente isso que nós precisamos. Força sempre!

  12. Apoio a causa, porém acredito que as manifestações tenham que começar amanhã!!!!
    Tomara que desta vez seja possível reunir o mesmo número de pessoas das manifestações do ano retrasado e que dê resultado novamente. Manifestações pacíficas, com foco, dão resultados!!!
    Demorou muito para esse Governador de m… aumentar o metrô… Foi só acabar a eleição, que começou: aumento de tarifas de ônibus e metrô, multa para quem consome mais água etc. Vamos para a rua, meu povo!!! Chega de ser otário desses políticos que roubam e esfregam o produto do roubo na nossa cara!!!
    Eu só acho que precisa ser mais divulgado este evento, pois tem muita gente viajando…

  13. Acredito na luta de vocês, vocês foram os únicos que conseguiram organizar os movimentos populares em torno de uma causa e de várias ao mesmo tempo, não aguentamos mais falta de água, luz e transporte público cobrado.

    Vocês estão certos na luta e enquanto puder ir participar com vocês irei.

    Um abraço.

  14. Gostaria muito que integrantes do MPL viessem a Baixada Santista para protestarem sobre o aumento da tarifa de ônibus nas cidades de Praia Grande e Guaruja. A desculpas desses dois municipios alegam melhorias nos ônibus municipais dessas cidades.
    Em Praia Grande alegam colocar ônibus com wi-fi e arcondicionado na qual a empresa operadora é a Viação Piracicabana. Em Santos não teve aumento de tarifa e nem se quer foi anunciado um possivel aumento, mesmo com melhorias a prefeitura de santos não pretende aumentar a passagem que custa hoje R$ 2,90. Em Guaruja já ateve aumento. Ambas as cidades da Baixada Santista como Guaruja e Praia Grande com o aumento a tarifa é hoje R$ 3,20. Ao pessoal do MPL venham para as cidades da Baixada Santista protestarem, conto com a sua presença.

Deixe uma resposta