Por que não vamos nos reunir com a polícia

Convite

Anteontem (05/01) recebemos esse “convite” da Polícia Militar. Hoje, o movimento vem a público negar o “convite” e explicitar o porquê.

Para começar, apesar do desconcerto que isso possa causar na Polícia Militar, o MPL é um movimento social horizontal, o que significa que não possuímos uma direção ou liderança. Esse simples fato já inviabilizaria a reunião nos moldes propostos.

No entanto, existem questões ainda mais sérias. Não nos causa surpresa o único contato institucional ter partido do comando da PM. O comando já anunciou aos jornais que comparecerá à manifestação (novamente) com um gigantesco efetivo, manterá o ato cercado em toda a sua duração e revistará TODAS AS PESSOAS que se aproximem da manifestação. Mesma prática que em 2013 levou à prisão de dezenas de pessoas por porte de VINAGRE, entre outras arbitrariedades.

Assim, a polícia militar mostra o que parece ser seu único diálogo possível com os movimentos sociais: a repressão e a intimidação.

Segundo o próprio “convite” feito pela polícia, a reunião objetivaria “garantir os direitos constitucionais”. Sendo assim, nos perguntamos porque a polícia militar precisa de um efetivo tão grande e de ameaças lançadas de antemão para garantir o direito à livre manifestação. Ao contrário do que a polícia deseja, a Constituição autoriza a realização de manifestações públicas e ponto, não estabelecendo necessidade de “liderança” ou “reunião de planejamento”. O que precisamos fazer é o contrário: discutir a doutrina de uso da força da polícia, para garantir o livre direito de manifestação e de imprensa.

O “convite” que a PM diz ter sido respondido – o que de fato só acontece agora com a publicação desta nota – nos foi feito através do contato do site, um formulário eletrônico utilizado para as pessoas nos enviarem desde apoio às ações a até promoções de camisetas. A inteligência da polícia do maior estado do país, tão interessada em garantir nossos direitos, poderia ter feito um esforço maior para entrar em contato com o movimento. E sabemos que ela tem até nossos endereços, já que muitos e muitas militantes foram buscados arbitrariamente em suas casas para depôr em um inquérito ilegal. Esse inquérito, por sinal, ainda existe e quando convidamos o então secretário de segurança para discutí-lo, fomos solenemente ignorados.

O que a PM e sua inteligência também parecem não entender é que, como já divulgado pelo movimento, o trajeto será deliberado antes do ato. O trajeto não pertence apenas ao Movimento Passe Livre, mas será aclamado pela população em assembleia. Assim, o MPL não vê sentido em comparecer a uma reunião para “definir as diretrizes do ato” com uma instituição que se prepara para reprimir uma manifestação legítima antes mesmo que ela aconteça. Esperamos que a polícia cumpra sua função de garantir que o direito de todas e todos sejam respeitados, inclusive e principalmente daqueles que lutam por seu direito à cidade e por uma vida sem catracas.

R$ 3,50 NÃO!
TARIFA ZERO JÁ!

+ http://saopaulo.mpl.org.br/2015/01/07/por-que-nao-vamos-nos-reunir-com-a-policia/

+ http://saopaulo.mpl.org.br/2014/06/25/debate-sobre-a-criminalizacao-dos-movimentos-sociais-com-fernando-grella-pelo-trancamento-do-inquerito-ilegal-no12013/

 

4 Replies to “Por que não vamos nos reunir com a polícia”

  1. Hahaha,

    Piada pronta!!!
    Acabei de postar um comentário no site do MPL. Pretendi opinar sobre um texto no qual alguém – que não assinou! – crítica a postura da polícia, entre outras coisas por ver nela um obstáculo à livre manifestação do pensamento.
    Onde está a piada?!
    Ora, no fato de que o comentário apareceu, depois que digitei “enter”, encimado pela inscrição: “seu comentário está aguardando aprovação”. Pode?? A manifestação não deve ser livre???

  2. Thiago,
    Não sei se você é do MPL ou não. Caso seja, fico sinceramente preocupado em ver, que tudo o que você tem a dizer a respeito do convite da polícia e da resposta do MPL, Resume-se a comentar o emprego de uma expressão no texto da polícia!
    Se for do MPL, isso diz muito sobre o movimento…

  3. Como pode o COMANDANTE da Policia Militar de São Paulo utilizar a palavra “escopo” de forma tão errada? Será que ele não sabe o significado? As autoridades deste pais precisam mesmo estudar mais…

  4. E amanhã não choverá!!!!!!!!!!!
    Gente, parabéns pelo texto e pelo posicionamento… Agora é necessário que esse documento seja muuuuito divulgado (eu tô fazendo oque posso), para preparar a resistência caso eles queiram trogloditar…