NOTA PÚBLICA DO MOVIMENTO PASSE LIVRE SP

Posicionamento do MPL-SP nas discussões de gênero e na luta contra o machismo Diante de inúmeras denúncias de agressões machistas em movimentos sociais e das diferentes repercussões e posicionamentos adotados nos debates de gênero, o Movimento Passe Livre São Paulo vem mais uma vez reafirmar seus Princípios e posicionamentos, derivados do acúmulo de discussões de seus espaços mistos e auto-organizados. Como explicitado em uma de nossas cartas sobre o tema (que você pode ler aqui), entendemos que a discussão de gênero é um processo dinâmico e constante na busca pela horizontalidade no cotidiano de nossa luta: a auto-crítica e a revisão de nossas posições é parte fundamental para o avanço desse processo. Porém, acreditamos que o avanço das discussões e seu caráter dinâmico não deva ser instrumentalizado para retroceder em consensos mínimos sobre o que é ser um movimento horizontal que se posiciona contra todas as formas de opressão, inclusive o machismo (princípios fundamentais do movimento desde sua fundação, como você pode ler aqui. Um elemento fundamental nas nossas discussões é a compreensão de que os movimentos sociais e demais organizações políticas de esquerda não estão automaticamente ou magicamente imunes às inúmeras formas de opressão presentes em nossa sociedade: a Continue lendo NOTA PÚBLICA DO MOVIMENTO PASSE LIVRE SP

Nota de Apoio do MPL – SP à luta dos Garis do Rio de Janeiro

Em fevereiro de 2014, os companheiros garis do Rio de Janeiro iniciaram uma greve histórica, exigindo seus direitos frente a Companhia Municipal de Limpeza Urbana – COMLURB. Além do descaso da Empresa, os companheiros contavam com mais um obstáculo: um sindicato burocrata e completamente cooptado pelos gerentes e patrões, que fazia de tudo para conter a indignação dos trabalhadores e trabalhadoras. Dessa forma, os Garis romperam com a burocracia sindical e foram às ruas peitar a Prefeitura e mostrar pro Rio de Janeiro e pro Brasil que a luta do povo é de baixo pra cima, é nóis por nóis! Esta greve foi histórica tanto pela suas formas de organização (autônoma, sem partidos e horizontal) quanto pelas suas ações: foram dias de greve e protestos em meio ao Carnaval, e o lixo se acumulava cada dia mais, mostrando na prática a importância fundamental do seu trabalho! Sem os garis o Rio de Janeiro NÃO continua lindo. Aproximadamente um ano depois, a COMLURB tem a cara de pau de não cumprir os acordos realizados em 2014. Dentre os vários absurdos, a empresa está descumprindo o pagamento do décimo quarto salário para aquelxs que alcançam as metas de trabalho, chegando inclusive a excluir Continue lendo Nota de Apoio do MPL – SP à luta dos Garis do Rio de Janeiro