Passe Livre SP Mulheres: 3) A cidade das catracas, uma cidade machista, elitista e racista

A cidade dos carros e das catracas expressa uma sociedade elitista, machista e racista. Essas diferentes desigualdades, fazem com que a opressão de gênero afete de formas diferentes as mulheres, recaindo ainda mais brutalmente sobre as mulheres pobres e negras. Não à toa, a maior parte dessas mulheres vivem nas periferias, nas quebradas e nas favelas, onde prevalece a ausência de direitos mantida com uma política genocida do Estado.
No trabalho, não apenas as mulheres recebem salários menores do que os homens que exercem a mesma função, como ocupam funções mais desvalorizadas no geral – por serem tidas como extensão da maternidade, como a limpeza, enfermagem e a educação – além de comporem a maior parte do trabalho informal e do desemprego. A situação do trabalho doméstico remunerado é bastante expressiva dessa realidade: 92% são mulheres e a maior parte são negras (2)
Ocupando trabalho precários, de forte herança escravocrata, essas mulheres tem a sua circulação ainda mais reduzida. Por ganharem pouco, não conseguem arcar com alto custo da tarifa e raramente recebem ValeTransporte. Por serem periféricas, perdem mais tempo no transporte. Por serem negras sofrem discriminação racial.
Mas as mulheres, negras, periféricas, não apenas sofrem toda essa opressão, como também resistem cotidianamente e se organizam na luta por um outro transporte, uma outra cidade e uma outra vida!
[continua]