Todo apoio à greve dos trabalhadores da CPTM!

TODA FORÇA À LUTA DOS FERROVIÁRIOS! Após meses de tentativa de negociação com o Governo do Estado de São Paulo, os ferroviários da CPTM dizem basta para as negativas da empresa quanto às demandas da categoria e para as propostas que não apresentam um aumento salarial real. Os trabalhadores declararam greve em 4 das 6 linhas da CPTM em repúdio ao pouco caso da empresa no tratamento com os trabalhadores. As greves recentes dos metroviários, rodoviários e agora dos ferroviários mostram que a prioridade do governo e das empresas não é um transporte de qualidade, e sim a diminuição de custos e aumento do lucro. São muitos os problemas enfrentados pelos trabalhadores e pelos usuários dos trens: superlotação, acidentes, tempos de espera enormes em qualquer horário, precarização das condições de trabalho, corte de direitos e terceirização de serviços. A terceirização é mais uma forma de diminuir salários e direitos que os empresários e governo tentam impor a todos os trabalhadores do país! Não podemos esquecer que o mesmo governo que alega não ter recursos para pagar melhor os trabalhadores tem dinheiro de sobra para as multinacionai$ que realizam o serviço terceirizado! O cartel de empresários envolvidos em um esquema de Continue lendo Todo apoio à greve dos trabalhadores da CPTM!

Semana de Linhas Populares no Extremo Sul: dias 13, 14 e 15 de maio

Após protesto em aula do Haddad, moradores do Extremo Sul organizam três dias de “linhas populares” de ônibus Para denunciar a total inexistência de transporte público na região, moradores do Extremo Sul da capital paulista irão organizar, nos dias 13, 14 e 15 de maio, “linhas populares” de ônibus em seus bairros. Com o dinheiro arrecadado em eventos nas comunidades, um veículo irá circular gratuitamente (ou melhor, com Tarifa Zero) nos trajetos onde hoje são obrigados a percorrer a pé.Em abril, um grupo de dezenas de moradores interromperam uma aula do prefeito Fernando Haddad na USP para exigir a implementação das linhas de ônibus. No dia, Haddad se comprometeu a participar de uma reunião na Subprefeitura de Parelheiros para resolver o problema no dia 16 ou 23 de maio (veja a gravação abaixo ou aqui). Até o momento, porém, os moradores não receberam nenhuma confirmação de data.Após anos de reivindicação, parte das linhas já foram aprovadas pela SPTrans e pelo Meio Ambiente, mas não saíram do papel por falta de vontade política. Em 2014, moradores do Marsilac chegaram a organizar também um dia de “linha popular” e a se acorrentar no saguão da Prefeitura em protesto. Sem respostas, os bairros voltam Continue lendo Semana de Linhas Populares no Extremo Sul: dias 13, 14 e 15 de maio

Moradores de Parelheiros interrompem aula de Haddad para exigir ônibus

Neste momento, um grupo de moradores de Parelheiros interrompe uma aula ministrada por Fernando Haddad na pós-graduação das Ciências Sociais da USP para exigir que o prefeito se comprometa com a criação urgente de linhas de ônibus em seus bairros no extremo sul da capital. Sem qualquer serviço de transporte, hoje moradores da Barragem, Marsilac, Bosque do Sol e Juza são forçados a percorrer quilômetros a pé para pegar ônibus diariamente. Há anos a população luta pela criação de linhas – em 2014, chegaram a organizar uma “linha popular” por um dia e se acorrentar no saguão da prefeitura como forma de protesto. Até o momento, a única resposta do poder público à reivindicação das comunidades tem sido a enrolação sistemática. Algumas das linhas já foram até aprovadas pela SPTrans (e, onde necessário, pela Secretaria do Verde), nada saiu do papel. Cansados da humilhação promovida pelo poder público, os moradores atravessaram São Paulo para tratar diretamente com o prefeito em sua aula sobre “direito à cidade”. Eles exigem que Haddad se comprometa em resolver a pauta e agende uma reunião com todos os secretários responsáveis pessoalmente. Acompanhe ao vivo: https://www.facebook.com/LutaTransporteExtremoSul Linhas reivindicadas: Pq. Oriente (via Est. do Juza e Bosque do Continue lendo Moradores de Parelheiros interrompem aula de Haddad para exigir ônibus

NOTA DAS MULHERES DO MOVIMENTO PASSE LIVRE A RESPEITO DO ESTUPRO NO METRÔ REPÚBLICA

“Não se consumou o roubo do cofre. É importante que isso seja colocado para mostrar que há segurança onde se guarda os valores no Metrô”,afirmou o secretário estadual de Segurança Pública, Alexandre de Moraes. Nas ultimas semanas os jornais noticiaram que uma mulher foi estuprada em um dos pontos mais movimentados da cidade de São Paulo. A garota de dezoito anos trabalhava em uma cabine de recarregamento de bilhetes de transporte na estação República do Metrô e estava saindo do trabalho. Nesta estação circulam centenas de pessoas que embarcam diariamente em duas das linhas mais movimentadas da cidade. Os valores da tarifa que excluem milhares de pessoas do acesso à cidade estavam protegidas. As trabalhadoras, não. O estupro aconteceu no dia 02 de abril, mas foi noticiado nos jornais apenas no dia 06, depois da denúncia de outrxs trabalhadorxs, que afirmam que o Metrô tentou abafar o caso. O absurdo de uma mulher ser estuprada dentro de seu espaço de trabalho, teoricamente seguro, já é o suficiente para evidenciar o quanto nossa sociedade oprime a mulher: a cultura do estupro e do medo, a falta de segurança no espaço de trabalho, a falta de distinção entre o corpo privado e Continue lendo NOTA DAS MULHERES DO MOVIMENTO PASSE LIVRE A RESPEITO DO ESTUPRO NO METRÔ REPÚBLICA

Aula pública sobre as licitações: Quem manda no nosso busão?

Estamos nos aproximando de um momento decisivo no sistema de transporte coletivo do município de São Paulo: o processo licitatório. As licitações definem grande parte do contrato entre governantes e empresários. Elas ocorrem há cada dez anos e geram muitos impactos no sistema de transporte coletivo durante esse período, como na configuração das linhas, na qualidade do transporte e até mesmo na tarifa. A última licitação, que ocorreu em 2003 na gestão Marta, trouxe uma série de mudanças que dificultaram muito a vida da população. Por trás de implantações como o bilhete único, corredores de ônibus e terminais, havia o projeto tronco-alimentador, responsável pelo corte de diversas linhas de bairro e pelo aumento das filas de espera em pontos e terminais. Mas a medida mais drástica que compôs essa licitação foi a consolidação da remuneração por passageiro, que incentivou os empresários a lotarem os ônibus e diminuirem a frota para lucrarem mais. A licitação que será discutida em breve foi apresentada pela primeira vez em 2013, mas as manifestações populares na luta contra o aumento da tarifa levaram ao seu cancelamento pela gestão Haddad. Assim, as empresas que continuam operando o transporte público fazem sem licitação já há mais de Continue lendo Aula pública sobre as licitações: Quem manda no nosso busão?