Vagão rosa é segregação! Nota do MPL-SP contra o vagão exclusivo

VAGÃO ROSA É SEGREGAÇÃO! Nota do Movimento Passe Livre contra o vagão rosa. O projeto de lei do “vagão rosa”, que foi aprovado pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo e que agora aguarda sanção do governador Geraldo Alckmin, prevê a criação de um vagão exclusivo para mulheres nos trens e metrôs. Com objetivo de proteger as mulheres de abusos sexuais no transporte superlotado, a proposta é não apenas insuficiente, como também é um retrocesso na luta feminina pelo espaço público e contra a violência de gênero. Todos os dias as pessoas que utilizam transporte público são humilhadas nos ônibus, trens e metrôs, submetidas à condições desumanas para ir e voltar do trabalho, da escola etc. As mulheres trabalhadoras, que na sua maioria são negras e moram na periferia, porém, sofrem muito mais: além das viagens demoradas e sufocantes, são constantemente assediadas por homens que aproveitam-se da situação “caótica” dos transportes. A superlotação dos trens e ônibus não é por acaso: é resultado de um sistema de transporte mercadológico, que visa o lucro das empresas, e não o bem estar e o interesse das usuárias e usuários. Esse sistema visa ainda menos a desconstrução da sociedade patriarcal que violenta Continue lendo Vagão rosa é segregação! Nota do MPL-SP contra o vagão exclusivo

Carta aberta sobre a discussão de gênero do MPL-SP

Antes da luta contra o aumento de 2013, o Movimento Passe Livre de São Paulo sentiu a necessidade de se reunir para fazer um balanço sobre como a questão de gênero era tratada no movimento até então. Redigimos posteriormente uma carta, fruto de nosso processo de discussão. Não a publicamos porque seu conteúdo não é consensual dentro do movimento. Não por oposições a construção de um espaço menos opressivo dentro do MPL, mas por uma divergência de estratégias para alcança-lo. Publicamos a carta nesse momento, por esta discussão ter sido retomada. O fato dessa publicação ter sido protelada é mais uma expressão de como a a discussão de gênero, assim como a discussão de outras opressões, é colocada em segundo plano por diversos movimentos sociais (como o nosso), fato que evidencia a opressão que está enraizada mesmo em espaços que pretendem combatê-las. A Publicação dessa carta expressa essa discussão interna – que é um processo em aberto – assim como possui reflexões com elementos trazidos por outros grupos. É por isso que acreditamos nesse debate publico, de uma discussão que seguimos fazendo.   Carta aberta sobre a discussão de gênero do MPL-SP Esta carta é uma publicização da discussão de Continue lendo Carta aberta sobre a discussão de gênero do MPL-SP