Obra do Monotrilho cai e mata um trabalhador em São Paulo

Na tarde desta segunda-feira, caiu uma viga da obra da futura “Linha Ouro do Metrô” (que na verdade é um Monotrilho e não um Metrô), na zona sul de São Paulo. A tragédia, que é responsabilidade direta do Estado, matou uma pessoa e feriu outras duas. A Linha Ouro do Monotrilho havia sido inicialmente prometida para estar pronta até a Copa do Mundo, ligando o Aeroporto de Cumbica ao Estádio do Morumbi (e despejando favelas no caminho, à serviço da especulação imobiliária). Mas não ficou pronta a tempo. Ainda assim, manteve-se o ritmo apressado das obras – sob o “padrão Fifa” de exploração -, ao custo de colocar a vida dos operários e da população em risco. Em pleno dia de repressão e criminalização da greve dos metroviários pelo Governo Alckmin, a tragédia na obra do Monotrilho escancara a forma como o Estado lida com o transporte da população: mera mercadoria, às custas do nosso sufoco e sangue. Seja pela própria opção de fazer um Monotrilho, que só consegue transportar quatro vezes menos passageiros que o Metrô e é muito mais vulnerável a acidentes, em um trajeto que só faz sentido para o lucro do capital imobiliário. Ou então, seja Continue lendo Obra do Monotrilho cai e mata um trabalhador em São Paulo