Secretaria Estadual de Saúde ocupada!

Na manhã desta quarta-feira, cerca de 500 pessoas se reuniram em frente ao metrô Clínicas para uma manifestação “radical e impaciente” em defesa do SUS, convocada pelo Fórum Popular de Saúde de SP (clique aqui para ler nossa convocatória). Embalado pelos batuques rebeldes da Fanfarra do MAL, o protesto contou com o apoio ativo de militantes do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), da Frente de Comunidades em Luta “Periferia Ativa” e do Movimento Passe Livre SP. Do metrô, a marcha seguiu até a Secretaria Estadual de Saúde, que teve o saguão de entrada ocupado. Após uma negociação, se acordou a subida de uma comissão para apresentar nossas reivindicações diretamente ao secretário, desde que a Fanfarra parasse de tocar no interior do prédio. Ao final do ato, um jovem militante do MTST foi detido pela Polícia Militar. A manifestação seguiu em marcha até a delegacia, exigindo por sua liberação. Segue abaixo frente e verso do panfleto distribuído pelo MPL no ato de hoje, articulando as lutas contra a privatização da saúde e do transporte:

Ato radical e impaciente em defesa do SUS no dia 22!

No dia 22 de maio, quarta-feira, o Fórum Popular de Saúde do Estado de São Paulo convida toda a população para um ato impaciente e radical contra o caos na no sistema de saúde estadual e em defesa de um SUS 100% público, gratuito e de qualidade. A manifestação terá início às 10h da manhã em frente ao Metrô Clínicas e contará com o apoio de movimentos populares como o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto) e da Frente de Comunidades em Luta “Periferia Ativa”, além do repertório musical de luta da Fanfarra do MAL (Movimento Autônomo Libertário). O Movimento Passe Livre SP também estará junto na rua, afinal nossas pautas devem caminhar juntas: se a luta por transporte é a luta pelo direito à cidade, é também pelo acesso aos equipamentos de saúde pública (já discutimos isso em outras ocasiões – como aqui e aqui). Convocatória lançada pelo Fórum Popular de Saúde: O estado de São Paulo é rico, mas o SUS aqui está um caos. Os pacientes reclamam a falta de médicos, o tratamento autoritário e fi‚la para especialistas. A situação em cidades como São Paulo, Campinas e Taboão da Serra é cada vez pior! Os pro‚ssionais da saúde reivindicam trabalho, transparência e Continue lendo Ato radical e impaciente em defesa do SUS no dia 22!

Secretaria de Segurança Pública ocupada: chega de chacinas na periferia!

Na manhã de hoje, cerca de 250 pessoas ocuparam a Secretaria Estadual de Segurança Pública para exigir indenização às famílias das vítimas de assassinatos da Polícia Militar nos massacres na periferia sul de São Paulo. Após a entrada, negociou-se a subida de uma comissão para falar com o Secretário. A ação se insere no contexto do dia das mães – que, para muitas mães da periferia vem se transformando um “dia das mães sem filhos” – e foi organizada pela Frente de Comunidades em Luta “Periferia Ativa”, o Comitê Contra o Genocício da Juventude Negra e o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto). O MPL esteve presente em apoio junto com a Fanfarra do M.A.L., banda autônoma e de luta, que deu a cadência da manifestação com sua batucada. A luta por transporte não acontece isolada: ela só tem sentido se for a luta pela construção de uma nova sociedade. Reivindicar o direito à cidade é tanto lutar por uma cidade na qual as pessoas possam se deslocar, como também é lutar por uma cidade sem chacinas contra a população pobre nas periferias. Por uma vida sem catracas, por uma São Paulo sem chacinas!

Debate: “Uma cidade recortada: Bilhete Mensal e o Arco do Futuro”

Em meados de abril, a prefeitura deu início ao cadastramento de usuários no sistema do Bilhete Único Mensal. O programa pretende ampliar o acesso ao transporte daquelas pessoas que puderem pagar R$140 por mês (valor previsto atualmente, que pode mudar). Junto ao Bilhete, a nova gestão apresenta como um dos carros-chefes de seu programa de governo o chamado “Arco do Futuro”. O projeto propõe uma “descentralização da cidade”, articulando operações urbanas no perímetro do centro expandido, em áreas historicamente visadas pelo capital imobiliário. Qual é a cidade que se traça com o Bilhete Mensal e o Arco Futuro? Que recortes esses projetos estabelecem? A quem serve essa reorganização do espaço urbano de São Paulo? A fim de refletir sobre as opções políticas da prefeitura, e assim fortalecer a discussão daqueles que vem lutando por um outro modelo de cidade, o Movimento Passe Livre convida todos para este debate na ocupação Mauá, no dia 11/05, às 14h. Falam na mesa: – Mariana Fix (urbanista, professora do Instituto de Economia da Unicamp) – Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) – Dito, da União dos Movimentos de Moradia (UMM) e da Central dos Movimentos Populares (CMP). – Movimento Passe Livre São Paulo (MPL-SP) [Leia mais sobre Continue lendo Debate: “Uma cidade recortada: Bilhete Mensal e o Arco do Futuro”