A greve continua! Polícia Militar invade estações do Metrô para reprimir metroviários

A greve continua esta sexta. Frente à intransigência da empresa, que não apresentou propostas novas para negociar, na assembleia de ontem os metroviários decidiram pela continuidade da greve e dos piquetes nas estações. Se dispuseram a trabalhar de catracas liberadas à população no lugar de paralisar as atividades, mas o Metrô prontamente vetou a possibilidade e ameaçou punir os trabalhadores. Hoje as linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha amanheceram paralisadas e continuaram sem operação até as 7h15 graças aos piquetes e a resistência dos metroviários. Por volta de 6h50 a tropa de choque invadiu as estações Ana Rosa (linha verde) e Bresser-Mocca (linha vermelha) sob a justificativa de que os grevistas estariam mantendo em “cárcere privado” na estação os funcionários da contingência que o governo teria acionado para furar a greve. No entanto, a estação estava completamente vazia, apenas com a presença do Supervisor Geral de Tráfego, mas sem nenhum trabalhador para operar os trens. Na estação Ana Rosa, um metroviário foi preso por três policiais do GOE (Grupo de Operações Especiais) na rua Joaquim Távora após o violentíssimo ataque do choque, que esvaziou a estação com bombas de gás lacrimogêneo, “efeito moral” (estilhaços) e cassetetes. O governo e a polícia Continue lendo A greve continua! Polícia Militar invade estações do Metrô para reprimir metroviários

Força à greve dos Metroviários! Onde o governo fura a greve, usuários fazem catracaços e Metrô chama a PM

METROVIÁRIOS EM GREVE! USUÁRIOS FAZEM CATRACAÇO NA LINHA LILÁS! A greve aprovada pelos metroviários no dia de ontem começou hoje pela manhã com quatro linhas paradas: 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 5-Lilás. Na Linha Lilás, porém, a Estação Capão Redondo foi aberta por volta das 6h por “fura-greves” à serviço do Governo – num ato completamente irresponsável, pois se tratam de supervisores e funcionários de escritórios, praticamente sem qualquer treinamento na operação dos trens (na semana passada, um deles conduziu um trem de portas abertas!). Com a abertura das portas, os usuários entraram a estação e durante cerca de uma hora, quase ninguém pagou tarifa para viajar: quem entrava, pulava a catraca ou passava por baixo espontaneamente. Como até os trabalhadores da segurança do Metrô estão em greve, os usuários puderam exercer livremente a “catraca livre” por uma hora sem repressão. Porém, às 7h, os fura-greves que operavam a linha à serviço do Governo (conhecidos como “contingência”) chamaram a PM, que ocupou a estação com uma dezena de soldados armados para impedir que os usuários continuassem pulando as catracas. Na Linha Vermelha, passageiros também se revoltaram em Itaquera, quebrando as grades da estação e também pulando as catracas. Mesmo com a Continue lendo Força à greve dos Metroviários! Onde o governo fura a greve, usuários fazem catracaços e Metrô chama a PM

Metroviários em greve: nossa luta é uma só!

TODO APOIO À GREVE DOS METROVIÁRIOS! A gente sai de casa cada vez mais cedo e volta cada vez mais tarde. Chega à estação enfrenta um congestionamento humano gigante para chegar até a catraca. Nos assaltam 3,00 reais para passar por ela. Pouquíssimos funcionários tentam atender milhares de usuários. Enfrentamos um vagão lotado, nos esprememos, mal conseguimos nos mexer. Se for mulher ainda corre o risco de sofrer abuso sexual. Quando parece que não dá ficar pior, o trem dá pane, as portas se abrem sozinhas, o freio automático falha, o ar – condicionado desliga e não tem como respirar. Para nós, que estamos no transporte diariamente, trabalhando ou se locomovendo, ele é um sofrimento e parece caótico a primeira vista. Mas há quem se beneficie muito com esta situação. É em cima do sufoco da gente – que, aqui embaixo, arriscamos nossas vidas embarcando e organizando plataformas superlotadas, viajando, guiando e arrumando os trens defeituosos e superfaturados – que os empresários e políticos lucram. Hoje o transporte é organizado de acordo com os interesses deles, que aumentam as tarifas e abaixam os salários com um só objetivo em mente: a prioridade sempre é o lucro deles, não melhores condições Continue lendo Metroviários em greve: nossa luta é uma só!

Contra o sufoco no metrô!

Depois no caos no Metrô vivido em São Paulo no último dia 4 de fevereiro, a mídia não pode esconder mais o cotidiano de sufoco e humilhação vivido todos os dias pelos usuários e trabalhadores da rede metroferroviária paulista. Trens que descarrilham, portas que abrem sozinhas, fogo em composições, superfaturamento de contratos é o que o Governo do Estado oferece a população. E, quando a população resiste, saindo de trens lotados e com o ar-condicionado desligado, tomando as linhas depois de tempo de espera incompatível com a situação vivida dentro dos vagões do Metrô em horário de pico, são chamados de “vândalos” pelo Governador Alckmin e pelo Secretário de Transportes Jurandir Fernandes. Esses senhores não dizem uma linha sobre o que farão para acabar com o caos no Metrô, mas afirmam que tomaram medidas para identificar “os grupos organizados que provocaram o caos”. Mas esse grupo já está muito bem identificado: o Governo do Estado. A revolta, auto-organizada, da população é a maior prova de que não adianta acreditar que o povo não tem capacidade de fazer nada, que a população sabe de seus problemas e sabe como lutar para transformar esse cotidiano de insegurança e sufoco. Se os de Continue lendo Contra o sufoco no metrô!