Carta aberta dos Metroviários e MPL na semana de luta por transporte

Na manhã desta sexta-feira, o Sindicato dos Metroviários e o MPL-SP distribuíram carta aberta aos usuários do metrô convocando a população para o ato por Tarifa Zero logo mais às 17h.  A luta dos trabalhadores e usuários é uma só: contra o sufoco e na defesa de um transporte público de verdade! Os desvios de verbas no metrô e os acidentes e falhas que vivemos todos os dias só ocorrem porque o transporte é pensado para o lucro, e não para as necessidades e segurança de seus usuários e trabalhadores! Os de cima colocam nas nossas costas a culpa de nosso próprio sufoco. Mas os culpados são eles: transporte é direito e tem que ser garantido pelo Estado! Já mostramos que vale a pena lutar! Seguimos juntos contra as demissões e na luta por um transporte público e de qualidade para toda a população!

Sobre o anúncio de “cortes de gastos” e demissões no Metrô

Nota conjunta do Sindicato dos Metroviários de SP, Movimento Passe Livre e Federação Nacional dos Metroviários Nessa segunda feira, dia 7 de outubro, o governo do Estado anunciou a decisão de reduzir custos do Metrô de São Paulo. O Secretário de Transportes de Alckmin, Jurandir Fernandes, alega que isso serviria para manter os custos da revogação do aumento das passagens, conquista da revolta popular de junho. Entre as medidas pensadas pelo governo do Estado estão demissões e outras medidas gerais de corte de gastos, que teriam apenas uma conseqüência: piorar ainda mais o Metrô e o problema do transporte de São Paulo. Aumentam nosso sufoco para garantir que os mesmos empresários continuem ganhando muito dinheiro em cima de nossa humilhação coletiva de todo dia. Tentam cobrar cada vez mais dos usuários e diminuir salários dos trabalhadores enquanto desviam bilhões do dinheiro público para o bolso dos políticos e emprsários. Esse recurso desviado é investimento mais do que necessário no sistema de transporte. Essa atitude do governo do Estado torna ainda mais claro como o transporte coletivo é tratado como uma mercadoria, ao invés de como um direito, acessível para toda a população, com tarifa zero. O que só será possível Continue lendo Sobre o anúncio de “cortes de gastos” e demissões no Metrô

Repúdio à violência da PM no Metrô!

Na última terça-feira (20/08), após reprimir um ato que protestava contra os desvios no metrô no centro da cidade, a Polícia Militar invadiu as estações República e Anhangabaú para perseguir os manifestantes, armada com cassetetes e escudos do Choque. Não bastasse a humilhação coletiva a que somos submetidos todos os dias, o metrô agora é também palco da violência da PM. Repudiamos a ação da Polícia Militar e nos solidarizamos com os lutadores reprimidos! Publicamos abaixo a nota de repúdio lançada pelo Sindicato dos Metroviários: NOTA DE REPÚDIO CONTRA A ATUAÇÃO DA PM NO METRÔ DE SÃO PAULO O Sindicato dos Metroviários de São Paulo repudia publicamente a ação da PM no interior do metrô, na noite 20 de agosto, entre as estações República e Anhangabaú. É inaceitável que se crie um clima de tensão, com agentes armados e paramentados para o enfrentamento, no interior de um sistema de transporte enclausurado e superlotado. A possibilidade de tal ação se transformar em um desastre sempre fica por um fio. A solução para os problemas de transporte não é perseguir manifestantes, mas sim usar esses órgãos públicos para prender quem depreda os transportes, ou seja, a máfia declarada que rouba do povo Continue lendo Repúdio à violência da PM no Metrô!

Contra o sufoco no transporte, por onde passa nossa luta?

Contra o sufoco no transporte, por onde passa nossa luta?   No dia 14 de agosto, nós – trabalhadores e usuários – estivemos nas ruas por um outro transporte, organizado de acordo com os nossos interesses. Contra o lucro dos empresários e políticos, realizamos um ato de denúncia, onde reafirmamos: dinheiro público deve ser investido em transporte público! A manifestação passou por diversos órgãos do Estado, como o Ministério Público e a Secretaria dos Transportes Metropolitanos, para deixar claro onde estão os responsáveis pelo nosso sufoco. Em frente à Secretaria, queimamos a catraca, com seu proprietário, o empresário. Um transporte organizado pelos de cima só pode atender aos interesses dos de cima. Esse ato, que foi organizado pelo Sindicato dos Metroviários com apoio do Movimento Passe Livre e outras organizações, contou com cerca de 4 mil pessoas. Após o término da manifestação, na Praça da Sé, um grupo saiu do ato para a Câmara Municipal, onde algumas pessoas foram recebidas com a intenção de negociar com os vereadores. A Câmara, na tentativa de retomar o protagonismo político frente as manifestações por transporte, propôs a realização de uma audiência pública, como já vinha fazendo há tempos. Enxergamos nessa audiência uma tentativa Continue lendo Contra o sufoco no transporte, por onde passa nossa luta?

Transporte, saúde e cultura não são mercadoria! Informes dos atos da última semana

A luta por transporte público não acontece isolada: ela caminha junto de várias outras lutas, na retomada da cidade e resistindo à mercantilização de nossas vidas. Na última semana, o MPL esteve junto dos Metroviários na denúncia daqueles que lucram com nosso sufoco, mas também saiu às ruas com movimentos de saúde pública e de trabalhadores da cultura. Segue abaixo os informes dos atos: 14/08: Ato contra os desvios no metrô, por um transporte verdadeiramente público! No dia 14, mais de 2500 pessoas marcharam pelo centro da cidade para denunciar o cartel e o desvio de mais de 570 milhões reais de dinheiro público nos contratos das licitações do Metrô e da CPTM. Convocada inicialmente pelo Sindicato dos Metroviários, a passeata contou com apoio de diversos grupos, dentre eles o MPL. Estivemos juntos porque sabemos que só com a união da luta dos passageiros com a dos trabalhadores do transporte que poderemos conquistar um transporte verdadeiramente público, sem tarifa e sob controle popular. A manifestação se concentrou a partir das 15h no Vale do Anhangabaú, de onde seguimos pelas ruas do centro em direção à sede da Secretaria Estadual de Transportes. Lá chegando, foi colocado fogo em um boneco apoiado sobre uma Continue lendo Transporte, saúde e cultura não são mercadoria! Informes dos atos da última semana